sábado, 13 de novembro de 2010

Deus Nossa Imagem e Semelhança - Por Padre Rufus Pereira.


"Queridos irmãos e irmãs em Nosso Senhor Jesus Cristo, depois da homilia da Missa de ontem, eu conduzi vocês numa oração após a Sagrada Eucaristia. E começando o dia de hoje do nosso retiro, eu quero chamar a atenção de vocês para a realidade de que a nossa fé é baseada naquilo que Deus fala conosco.

Já nos primeiros dias Deus falou ao povo de Israel através de Abraão, Moisés, Jeremias, Isaías, dentre outros. E tudo aquilo que Deus falou para os líderes e profetas daquele tempo foi escrito e é conhecido pelo nome de Antigo Testamento.

É bom que a gente saiba qual é o lugar do Antigo Testamento na nossa fé. Certa vez, um jovem me disse que “agora sim ele sabia o que era a Palavra de Deus”. No entanto, ele havia tirado de sua Bíblia as páginas do Antigo Testamento. E isso não é correto. O Antigo Testamento é parte da Palavra de Deus para nós hoje.

Não podemos cair em dois extremos: em desprezar e considerar o Antigo Testamento apenas como história ou, a exemplo de cristãos de outras denominações, referir-se às passagens do Antigo Testamento muito mais do que às passagens do Novo Testamento. A atitude correta é a da Igreja Católica.

A Dei Verbum nos ensina que o Antigo Testamento é uma preparação para o Novo Testamento. Portanto, o Antigo Testamento precisa ter um lugar correto em nossa fé.

E então você tem o Novo Testamento, que consiste nos quatro Evangelhos e nas Cartas. E as Cartas são um importante testemunho da fé da Igreja Primitiva. E também são uma continuação da mensagem básica do Evangelho.

Mas são os quatro Evangelhos que formam a parte mais importante da Bíblia. Talvez você não consiga ler toda a Bíblia. Talvez você não consiga ler os livros do Antigo Testamento. Talvez você não consiga nem ler as belas Cartas do Novo Testamento. Mas lendo apenas os quatro Evangelhos você pode crescer na fé.

"Esta é a base da nossa fé cristã: o amor de Deus"

E, caso você não consiga ler os quatro Evangelhos, eu recomendo a você ler o Evangelho segundo Lucas, porque ele é, de certa maneira, o Evangelho do Terceiro Milênio. Portanto, a primeira coisa que eu quero dizer a você é que, mesmo que você não tenha tempo de ler a Bíblia de “capa a capa”, você crescerá na fé ao ler esses dois livros: o Evangelho segundo Lucas e o livro dos Atos dos Apóstolos, que é uma continuidade dos Evangelhos.

A nossa fé precisa estar baseada na Palavra de Deus. Desde que eu ingressei na Renovação Carismática Católica, eu deixei de ler outros livros. O único livro que eu realmente leio é a Bíblia. Eu não leio nem mesmo os livros que eu escrevo. Não podemos deixar o Evangelho, a Palavra de Deus de lado. A nossa vida precisa estar baseada inteiramente na leitura das Sagradas Escrituras. Nós temos de nos chamar de homens e mulheres da Palavra. Da Palavra de Deus.

Certa vez eu encontrei um pequeno livro com o título: “O Evangelho em mil línguas”. Fiquei curioso ao me deparar com aquele título. Como poderia um livro tão pequeno conter todo o Evangelho em mil línguas? Ao abrir o livro tive uma bela surpresa: cada página trazia as traduções em mil línguas de um único versículo da Bíblia. Era o versículo de João 3,16: “Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Quem é este Deus que nos ama? Esta é a base da nossa fé cristã: o amor de Deus. Para nós Deus é um Deus de amor. Deus é o Todo Poderoso. Sabemos disso. Mas o mais importante é saber que Deus me ama. Podemos proclamar que o Cristianismo é a religião do amor.

O que temos lido atualmente nos jornais? Calamidades, guerras, inúmeras más notícias. E a grande má notícia é que existe muito ódio no mundo. Pessoas são glorificadas por matarem em nome da religião. Mas na nossa fé cristã não há lugar para “homens bombas”, para pessoas suicidas. No Cristianismo temos inúmeros mártires que se sacrificaram por amor.

Mesmo que eu tivesse que passar esses três dias somente falando sobre o Deus que é amor, isso já seria suficiente. Deus nos criou a partir do seu amor. Você pode dizer: eu estou aqui porque Deus me criou a partir do seu amor. E isso é suficiente.

Como que eu sei que Deus me ama? Porque Ele me criou a sua própria imagem e semelhança. Quando você se olha no espelho você contempla a face de Deus, pois você foi criado à imagem e semelhança d'Ele.

Deus me criou para a felicidade. E esta felicidade não é somente para o Céu. Mas é para hoje também. Mesmo em meio ao sofrimento e dor. Deus me ama tanto que Ele está falando constantemente comigo de dia e de noite.

Como que eu sei que Deus me ama? Porque Ele me corrige. Um bom pai sempre corrige seu filho. Porque ele quer que seu filho chegue à perfeição. Deus corrige o seu povo. Mas não é por vingança que Ele faz isso, mas é para melhorarmos, para mudarmos.

A principal razão pela qual eu creio que Deus nos ama é porque Ele quer ter uma relação pessoal conosco. Ele nos criou à sua imagem e semelhança, mas somos diferentes entre nós. Temos olhos, ouvidos, boca, mas não somos iguais. Somos diferentes. Somos únicos. Só existe um Rufus, uma Maria, um José... Somos únicos!

Para nós Deus é uma pessoa. Para muitas religiões, Deus não é uma pessoa, mas sim uma divindade impessoal. Mas para nós Ele é uma pessoa. E Ele quer sentar-se “cara a cara” e falar conosco. Deus quer que eu seja melhor. Assim como todo pai quer se orgulhar do seu filho. Deus quer que sejamos tão santos como Ele. Deus não olha para nós como “rivais”. Mas Ele quer que sejamos como Ele: perfeitos como Ele é perfeito.

Talvez eu não consiga ser aquilo que Deus é. Mas eu acabo cometendo aquilo que chamamos de pecado. O pecado não significa somente cometer atos maus, mas sobretudo não chegar à santidade, à vontade de Deus. Se não chegamos até o objetivo de Deus, Ele não nos destrói. Mas Ele nos dá uma, duas, três, milhares de chances! Ele não me destrói. Ele me perdoa. Deus é generoso e rico em misericórdia. Ele é um “pai exigente” e, ao mesmo tempo, uma “mãe que perdoa”.

Vamos pegar o exemplo de Davi. Deus amava a Davi antes dele cometer aqueles dois terríveis pecados: o adultério e o assassinato. E depois dos pecados cometidos, Deus não escolheu outro para o lugar de Davi. Mas o amou. O mesmo Jesus fez com Pedro. Após negar a Jesus, Pedro não foi rejeitado pelo Senhor. Jesus não escolheu outra pessoa para ser o primeiro Papa no lugar de Pedro. Ao contrário, Jesus orou por Pedro para que Ele pudesse confirmar na fé os seus irmãos.

Deus nos ama apesar de nossas fraquezas. E Ele quer que você volte para sua casa restaurado. Ele quer te preencher com o Espírito Santo, para que você seja um apóstolo do amor em sua casa. É por isso que você está aqui. Para ser uma pessoa santa como Ele é santo."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este BLOG foi útil para você? Deixe seu testemunho! Sua opinião é muito importante para nós.