sexta-feira, 25 de junho de 2010

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA DE "A" a "Z".

Prezados amigos, gostaria de compartilhar com vocês este endereço eletrônico. Nele poderemos fazer uma rápida consulta ao Catecismo da Igreja Católica, a fim de tirar dúvidas que eventualmente tenhamos.

Vale conferir.

Clique no link abaixo ou copie e cole na barra de endereços. Depois é só clicar na letra inicial e fazer as pesquisas. Por exemplo: quem quiser saber o que a Igreja Católica pensa sobre a cremação, basta clicar na letra "c", depois procurar a palavra "cremação"...

"C.85 CREMAÇÃO

§2301 A autópsia de cadáveres pode ser moralmente admitida por motivos de investigação legal ou de pesquisa científica. A doação gratuita de órgãos após a morte é legítima e pode ser meritória.

A Igreja permite a cremação, se esta não manifestar uma posição contrária à fé na ressurreição dos corpos."

http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/az.html#A

Um forte abraço a todos.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

NOVENA A MADRE PAULINA.


Iniciemos, com alegria e fé, nossa oração, invocando a presença da Santíssima Trindade: em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

1° Dia

Ó Santa Paulina, que tanto amaste Maria, a Mãe de Deus, e foste fiel ao seu convite: “Quero que inicies uma obra; trabalharás pela salvação de minhas filhas”, alcança-nos, do Senhor, a sensibilidade para perceber os clamores da realidade e a disponibilidade para servir aos mais necessitados e aos que estão em situação de maior injustiça.

Oração à Santa Paulina

Ó Santa Paulina, que puseste toda a confiança no Pai e em Jesus e que, inspirada por Maria, decidiste ajudar o povo sofrido, nós te confiamos a Igreja que tanto amas, nossas vidas, nossas famílias, a Vida Consagrada e todo o povo de Deus.

(Pedir a graça desejada)

Santa Paulina, intercede por nós, junto a Jesus, a fim de que tenhamos a coragem de lutar sempre, na conquista de um mundo mais humano, justo e fraterno. Amém.

Pai-Nosso – Ave Maria – Glória

V. Santa Paulina.

R. Rogai por nós!

2° Dia

Ó Santa Paulina, que, desde a infância, soubeste partilhar o pão com os mais pobres e necessitados, ensina-nos a partilhar com as pessoas, o pão da nossa mesa, da palavra, do perdão, do amor e da acolhida.

Oração à Santa Paulina

3° Dia

Ó Santa Paulina, que visitaste os doentes, acolheste a uma portadora de câncer, as crianças órfãs e as pessoas anciãs abandonadas, alcança-nos, do Senhor, tão intensa caridade, que nos faça abrir o coração a quem necessita de nossa ajuda e solidariedade.

Oração à Santa Paulina

4° Dia

Ó Santa Paulina, que te imolaste, desejando tornar Jesus conhecido, amado e adorado, por todas as pessoas e em todo mundo, alcança-nos, do Senhor, renovado ardor missionário e apostólico, para sermos fiéis à Missão de anunciar a Boa Nova da Salvação trazida por Jesus Cristo.

Oração à Santa Paulina

5° Dia

Ó Santa Paulina, que tanto te preocupaste com as crianças e os jovens e lhes apresentaste ideais de heroísmo e santidade, alcança-nos, do Senhor, a graça de sermos, através de nosso testemunho de vida, na família e na sociedade, estímulo para que a juventude ande nos caminhos da verdade e assuma sua vocação, com alegria, abertura, doação, entusiasmo e esperança.

Oração à Santa Paulina

6º Dia

Ó Santa Paulina, que abraçaste a cruz da humildade e do aniquilamento e, nos momentos difíceis da vida, encorajaste exortando: “Nunca, jamais desanimeis, embora venham ventos contrários”, alcança-nos, do Senhor, a graça de assumirmos com fé, e num compromisso de transformação, os sofrimentos que machucam e pesam no coração de tantas pessoas.

Oração à Santa Paulina

7º Dia

Ò Santa Paulina, que tanto serviste à Igreja e te dedicaste inteiramente ao testemunho do Reino de Deus, alcança-nos, do Senhor, a graça de vivermos o compromisso batismal, colocando-nos a serviço da vida e da esperança, a fim de construirmos uma sociedade justa, fraterna e solidária.

Oração à Santa Paulina

8º Dia

Ó Santa Paulina, que encontraste, na oração, a alegria, a paz, a força e o sentido da doação da própria vida, alcança-nos a graça de encontrarmos, na intimidade com Deus, a força para construir nossas vidas, famílias e comunidades, no bem, no amor, no perdão e na justiça.

Oração à Santa Paulina

9º Dia

Ó Santa Paulina, que abrasada no amor de Deus e despojada de toda grandeza humana, entregaste tua vida ao Senhor, alcança-nos a graça do desprendimento das coisas passageiras deste mundo, buscando somente a glória de Deus e assumindo o desafio de lutar contra todas as situações de morte, para “que todas as pessoas tenham vida e vida em abundância”. (cf.Jo 10.10).

Oração à Santa Paulina (repetir, conforme o primeiro dia)

Maiores informações acesse o endereço abaixo.

www.santuariosantapaulina.org.br

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Nunca Pare de Sonhar.


Havia no alto de uma montanha três árvores.

Elas sonhavam com o que iriam ser depois de grandes.

A primeira, olhando as estrelas disse: eu quero ser o baú mais precioso do mundo e viver cheia de tesouros.

A segunda, olhando um riacho suspirou: eu quero ser um navio bem grande para transportar Reis e Rainhas.

A terceira olhou para o vale e disse: quero crescer e ficar aqui no alto da montanha; quero crescer tanto que as pessoas ao olharem para mim levantem os olhos e pensem em Deus.

Muitos anos se passaram, as árvores cresceram.

Surgiram três lenhadores que, sem saber do sonho das árvores, cortaram as três.

A primeira árvore acabou se transformando num cocho de animais, coberto de feno.

A segunda virou um barco de pesca transportando pessoas e peixes todos os dias.

A terceira foi cortada em vigas e deixada num depósito.

Desiludidas as três árvores lamentaram os seus destinos.

Mas, numa certa noite, com o céu cheio de estrelas, uma jovem mulher colocou o seu bebê recém-nascido naquele cocho.

De repente, a árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo.

A segunda, certo dia, transportou um homem que acabou por dormir no barco.

E, quando uma tempestade quase afundou o barco, o homem levantou-se e disse PAZ!!

E, imediatamente, as águas se acalmaram.

E a árvore transformada em barco entendeu que transportava o rei dos céus e da terra.

Tempos mais tarde, numa Sexta-feira, a árvore espantou-se quando as vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela.

A árvore sentiu-se horrível vendo o sofrimento daquele homem.

Mas logo entendeu que aquele homem salvou a humanidade e as pessoas logo se lembrariam de Deus ao olharem para a cruz.

O exemplo das árvores é um sinal de que é preciso sonhar e ter fé. SEMPRE!!!

QUANDO JESUS PASSA PELA NOSSA VIDA, ALGO DE BOM ACONTECE E NO NOSSO CASO, NÓS NÃO SOMOS ÁRVORES, SOMOS CRISTÃOS, SOMOS CATÓLICOS NO COLO DE JESUS,
QUE NOS IMPULSIONA A EVANGELIZAR. VAMOS LEVAR A BOA NOVA QUE É O PRÓPRIO JESUS. EVANGELIZE!!!!!

SETE MODOS DE ENFRENTAR AS DIFICULDADES DA VIDA

1 - Tenha a convicção de que Deus está no controle de tudo;

2- Não tenha medo de situações novas;

3 - Tire proveito das dificuldades;

4 - Não escute palavras de desânimo e dúvida;

5 - Lembre-se de que você próprio é uma solução;

6 - Esteja se fortalecendo interiormente cada manhã;

7 - Agradeça a Deus pela oportunidade de lutar e vencer.

"A NOSSA VISÃO DA VIDA DETERMINARÁ O NOSSO SUCESSO OU FRACASSO. SEJA ENTÃO UM DOS QUE ACREDITAM, SE ESFORÇAM E VENCEM. "DEUS GOSTA DOS QUE NÃO RECUAM."

domingo, 13 de junho de 2010

Tradicional Missa de Santo Antônio Reúne Multidão de Fiéis no Oratório da Rua João Teodoro Duarte, em Vacaria/RS.

Multidão de devotos estiveram presentes na Missa de Santo Antônio.


Mãos elevadas para receber a bênção de Santo Antônio de Pádua.


Antes da celebração, organizadores agitados com os preparativos.

Histórica imagem de Santo Antônio (Veja nota abaixo).

Celebrantes: Monsenhor Germino e Padre Cláudio.


O coral encarregado da animação.

Saiba um pouco da história do Oratório de Santo Antônio.

"No ano de 1910, na cidade de Vacaria, esquina das ruas Ramiro Barcelos com Júlio de Castilhos, num casarão de dois pisos, morava o casal Caetano e Virgínia Faccioli (sogros do Professor José Fernandes de Oliveira).

Numa madrugada, o Sr. Caetano saiu a cavalo para ir a Antônio Prado.

No caminho, próximo ao local conhecido como 'Porteirinha', ao se aproximar de uma fazenda perguntaram:

Quem vem lá?

A resposta: - Caetano!

Não esperaram o sobrenome e atiraram, matando-o.

Este morador tinha um inimigo mortal que também se chamava Caetano.

Quando viu o engano, escondeu o corpo.

O cavalo do seu Caetano Faccioli voltou para casa.

Dona Virgínia ficou preocupada com o fato e perguntava aos conhecidos se tinham visto seu marido.

Depois de passados muitos dias, com a ausência do Sr. Caetano, os vizinhos e parentes, começaram a levantar suspeitas da veracidade das palavras de dona Virgínia, pois o cavalo com sela estava em sua casa.

Começando a ficar uma situação incômoda para dona Virgínia.

Ela, então, faz uma promessa para Stº Antônio, santo de sua devoção, que se seu marido aparecesse, em gratidão, faria um oratório.

Meses mais tarde, encontram enterrado num capão, na estrada para Antônio Prado, o corpo do senhor Caetano que foi identificado pelas roupas e principalmente seu relógio.

Em 1912, dona Virgínia Faccioli mandou fazer o oratório com a imagem que tinha mandado buscar na Itália.

Este primeiro oratório ficava na rua Ramiro Barcelos, mais ou menos no número 1.255, fundos de sua residência.

Em 1940 a família de Mathias Claro de Lima veio de Antônio Prado, morar na mesma rua, no número 1.353.

Os filhos de dona Virgínia tinham se transferido para Porto Alegre e ninguém cuidava do oratório.

A esposa do senhor Mathias, dona Lara Tergolina de Lima, muito devota deste Santo, tomou a si incumbência de limpar e cuidar do oratório.

A propriedade dos herdeiros da família Faccioli fazia divisa com a da família Lima.

Descendo a rua Ramiro, tinha muitos lotes.

Cada vez que os herdeiros vendiam um terreno, sentido centro bairro, o oratório também mudava de lugar, aproximando-se cada vez mais da casa dos Lima. Até ser construído onde hoje é a rua João Teodoro Duarte.

No início da década de 60, quando abriram a rua João Teodoro Duarte, a família de Matias Claro de Lima, com a permissão dos herdeiros de dona Virgínia Faccioli, construiu o oratório no seu terreno, onde se encontra até hoje.

O projeto deste oratório foi feito por Carlos Rigotti. A construção foi financiada por Vidal Bossler em pagamento a uma promessa. A parte de alvenaria foi construída pelo senhor João Luciano, popular João Titio.

O serviço de madeira foi encomendado por dona Lara ao senhor Hugo Boschi.

Uma observação que não pode deixar de ser registrada, desde 1940, quando dona Lara começou a cuidar do oratório até a presente data, sempre tem velas acesas para o Santo, sem faltar nenhum dia. Ofertas de seus devotos.

Inúmeros fatos surpreendentes foram e são relatados por pessoas que conseguiram alcançar graças como: objetos perdidos depois recuperados, amores reatados, doenças curadas etc.

No dia 13 de junho de cada ano é realizado um momento de oração, geralmente às 14h30min, onde reúne mais ou menos 500 devotos e são distribuídos 4.000 pães gratuitamente.

A realização deste evento é organizada pelos moradores da rua e devotos do Santo." (Pesquisa realizada pela Professora Norma de Lima Guerra).


Santo Antônio, rogai por nós, intercedei a Deus por nós.

Um abraço a todos.

Marcos Suzin.
Coordenador do Grupo Água Viva.

Grupo Água Viva anima missa de Santo Antônio no Bairro Vista Alegre, em Vacaria/RS.

À esquerda Paulo e à direita Marcelo Chemello.
Ao fundo, Alcides e Vera Lúcia.



Comunidade do Bairro Vista Alegre compareceu em peso.
O salão paroquial estava lotado.

Frei Ismael Sartor.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

O Que Está Havendo com a Igreja Católica?

Prezados amigos:

Nos últimos anos, houve um grande número de acontecimentos lamentáveis envolvendo pessoas ligadas à Igreja Católica. Isso tudo nos envergonha e nos deixa muito preocupados. Pergunta-se: "O que está havendo com a Igreja Católica?"

Historicamente, a Igreja enfrentou - e ainda enfrenta - muitas tribulações. Muitos foram os inimigos, que, não raras vezes, estavam dentro da própria Casa de Pedro, procurando de todas formas retirar-lhe a credibilidade e a primazia dada pelo próprio Jesus Cristo, comprovadamente o seu instituidor.

Se não fosse a promessa de Jesus, de que as portas do inferno jamais prevaleceriam contra a Igreja, eu confesso que já teria perdido as esperanças.

Em face da extrema dificuldade do tema, tomei a liberdade de trancrever um artigo do jornalista católico PERCIVAL PUGGINA, um grande expoente do jornalismo gaúcho, com um longa e ilibada carreira,  sendo um conhecido e combativo defensor da Igreja.


Percival Puggina

O artigo abaixa fala examente a respeito dos escândalos, cuja vinda não se pode evitar, mas a respeito deles se pode dizer: "AI DE QUEM PROVOCA ESCÂNDALOS".

Eis o artigo. Bom proveito.

"A FRAÇÃO E O TODO
(Percival Puggina)

"Aqueles que causam o escândalo são culpados de assassinato espiritual. Aqueles que acolhem o escândalo, permitindo que destrua sua fé, são culpados de suicídio espiritual" (S. Francisco de Sales, citado pelo Pe. Roger J. Landry).

Entre os muitos chamados, apenas 12 foram escolhidos. Pessoalmente escolhidos por Jesus. Seleção feita a dedo. Tu, tu e tu. Pois ali mesmo, entre os doze, houve um traidor. Fraquezas e traições humanas não são incomuns na vida da Igreja. Entretanto, como lembra o mencionado padre Roger em belo sermão, "se o escândalo de Judas tivesse sido a única coisa com que os membros da Igreja primitiva houvessem se preocupado, a Igreja teria acabado antes de começar".

Diante de acontecimentos reprováveis é comum ouvir-se: "São coisas que acontecem!". No entanto, muitas dessas coisas só acontecem porque, quando acontecem, a gente apenas diz que são coisas que acontecem. Creio, diferentemente, que erros têm que ser corrigidos e que a responsabilidade pelas retificações e penalidades recai sobre as autoridades em cuja jurisdição ocorrem. Misericórdia com o pecador não é quitação do criminoso perante a Justiça. Ponto. Voltemos à Igreja.

No século 15, de baixo para cima e de cima para baixo, a cobiça, o apego ao poder e a devassidão dominaram parcela do clero, do episcopado, da cúria romana e alcançaram alguns papas. Inocêncio VIII teve dois filhos. Alexandre VI, além de ter sido um corrupto, vendilhão de indulgências, teve nove filhos com seis mulheres. Aquela terrível crise se prolongou por quase cem anos. Mas é em épocas assim que emergem multidões de santos para suscitar as mudanças necessárias. E o século 16 ficou conhecido como o que mais santos produziu. As denúncias e os fatos que chegam ao nosso conhecimento nestes dias, com toda sua gravidade, envolvem raríssimos colegas de D. Lugo e alguns presbíteros (entre quase meio milhão de religiosos em atividade no mundo).

Quem aposta no descrédito da Igreja joga nessa fração contra o todo. E toma um bonde muito errado. A Igreja persistirá como luz da História e como instituição incomparável a qualquer outra, por palavras, obras e vocação. Também erra feio quem pretende atribuir às exigências da castidade os gravíssimos problemas que estão sendo revelados. Promíscuos, pervertidos e tarados de beco, em todos os tempos, e nas mais diferentes esferas da atividade humana, são frutos do hedonismo. Não são frutos do celibato nem da castidade. Ora, convenhamos!

Acontece que, para a contracultura da ganância, do poder e do prazer, resulta intolerável que tantos homens e mulheres, livremente, por amor a Deus e ao próximo, prefiram a pobreza, a obediência e a castidade. Quanto desprezo à virtude! Contudo, quem quiser escrever meia página honesta sobre os seres humanos que mais contribuíram para elevar a humanidade, com generosa dedicação aos seus semelhantes, haverá de encontrar, a cada passo, a multidão dos que, através dos séculos, voluntariamente, assumiram os encargos e as alegrias da vida religiosa. Paradoxalmente, na realidade do mundo em que vivemos, esses santos do cotidiano tornam-se vítimas da maledicência dos que são incapazes de entender a virtude e não têm metade da bravura necessária para dizer não a si mesmos. Nessa contracultura, São Francisco de Assis seria visto como um oprimido ou degenerado...". (Em http://www.puggina.org/)

Lembre-se sempre: A IGREJA SOMOS NÓS, TODOS NÓS, BATIZADOS DO MUNDO INTEIRO.

E você sabe o que é a fé católica? É vencer tudo pelo poder da oração, da obediência, do amor e da caridade. Assista o vídeo abaixo e veja como muitas pessoas estão dispostas a resistir e lutar pela Igreja Católica, a Igreja de Jesus Cristo.




Portanto, que cada um cuide de nossa casa, fazendo sempre o possível para viver o Evangelho como Jesus quer, sendo exemplo de correção e integridade. Às vezes, o mau exemplo está no último lugar onde se poderia imaginar ou aceitar, porém São Paulo nos ensina: "Guardai o que é bom!", apenas o que é bom.

Cordial abraço a todos.

Marcos Suzin,
Coordenador do Grupo Água Viva.
Vacaria, RS.

domingo, 6 de junho de 2010

Grupo Água Viva anima a Festa do Divino, na Comunidade Divino Espírito Santo, Bairro Lomba Chata, Vacaria/RS.

Grupo Água Viva. Acima Paulo Rogério F. Borges, à esquerda Marcelo, ao fundo Alcides.

Celebrante: Frei Francisco Pasinato. À direita: Ronaldo


No mesmo dia, às 18 horas, o GO Água Viva esteve animando a missa na Catedral de Vacaria.

Cordial abraço a todos.
Marcos Suzin.
Coordenador do Grupo Água Viva.




Dia do Imaculado Coração de Maria!

"O Imaculado Coração de Maria é uma devoção católica que ganhou grande destaque com as aparições de Fátima. Consiste na veneraç...