sexta-feira, 30 de julho de 2010

AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS.


Amar a Deus Sobre Todas as Coisas

Todos sabemos a respeito dos mandamentos da Lei de Deus, pelo menos que são dez. O primeiro deles é "Amar a Deus Sobre Todas as Coisas", conclusão que se chega a partir da redação constante em Êxodo, capítulo 20, versículo 3. Note-se que a redação do Antigo Testamento diz claramente "Não tenha outros deuses diante de mim". Em outras palavras, o primeiro mandamento traduz a verdade constante no Evangelho, na qual Jesus orienta "Buscai Primeiro o Reino dos Céus" (Mat. 6, 24-34).

Mas o que isso significa para nós?

Significa que Deus é o que temos de mais importante na vida. Tudo na vida passa, se perde, se deprecia; só Deus é para sempre. Sendo assim, a alma sábia ama a Deus acima de todos os bens temporais, pois sabe muito bem que desta vida nada se leva, nem mesmo nosso corpo. Aliás, todos sabemos que "da vida nada se leva", porém na maior parte do tempo ficamos desatinados atrás de bens perecíveis, coisas da terra, deixando de lado o bens eternos, coisas do alto, descumprindo o primeiro mandamento que determina "Não tenha outros deuses diante de mim" ou "Amar a Deus sobre todas as coisas.". Servimos a um deus chamado "dinheiro" e a outros chamados "beleza", "prestígio", etc.


Basta notar o tempo que dedicamos para ganhar dinheiro, dinheiro este para pagar as contas, sendo que muitas destas contas sequer precisaríamos fazer. Ou, então, o tempo que gastamos para embelezar o nosso corpo (academia, ginástica, caminhadas, estética, etc.); ou, ainda, para adquirirmos conhecimentos supérfluos com o único propósito de impressionar as pessoas. Na verdade, nada disso é proibido, desde que você mantenha Deus no vértice de sua vida. Em outras palavras, põe Deus em primeiro lugar e todo o que você precisar lhe será possível pela própria graça da Divina Providência. Terá o dinheiro que precisar, saúde e discernimento.

Outro ponto que gostaria de acrescentar é que não podemos ter com Deus uma relação de débito-crédito.
Eu preciso algo? Então rezo e peço a graça. Em troca do favor divino eu pago uma promessinha, rezo o terço, faço uma novena. Isso está errado! Deus não é caixa eletrônico, que a gente passa o cartão (reza), põe a senha (promessa) e sai o dinheiro (graça).
Eu não preciso de nada? Nem lembro de Deus. Não vou à missa. Não rezo. Aqui está o grande erro que cometemos.
Isso precisa ser corrigido em nossa vida. DEUS NÃO É UM QUEBRA-GALHO, Ele é a essência da nossa vida, é tudo para nós, é muito mais que o ar que respiramos. Ele é a nossa salvação, e salvação de vida eterna.

Por isso, é preciso amar a Deus sobre todas as coisas.


Domingo é dia de ir à missa. Futebol, corridas, programas de televisão, passeios, etc.; nada disso pode fazer você perder o Supremo Banquete, pois aí se viola frontalmente o primeiro e principal mandamento. Se você precisa viajar ou trabalhar no domingo, então vá na missa no sábado ou outro dia da semana, mas não fique mais do que sete dias sem ira à missa, pois você entraria em estado de subnutrição espiritual, por falta do alimento da imortalidade (que é a Eucaristia, ou seja, o próprio Jesus, o Pão da Vida), o que é muito grave e provoca sequelas espirituais difíceis de serem superadas.


É preciso, ainda, por amor a Deus, abrir mão de tudo que nos afasta dEle, principalmente das ocasiões de pecado e dos atos de desonestidade. O pecado tem um preço, que é a morte da alma; a desonestidade também tem seu preço, que é a condenação eterna.

Portanto, amemos a Deus Senhor Nosso e, por amor a Ele, suportemos as afrontas que por certo virão. Pois, os sofrimentos deste mundo não têm comparação com a glória que nos é reservada para a eternidade.

Um forte abraço a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este BLOG foi útil para você? Deixe seu testemunho! Sua opinião é muito importante para nós.