quarta-feira, 4 de abril de 2018

A Festa da Misericórdia - Jesus eu Confio em Vós!

“Quem confia na minha misericórdia não perecerá, porque todas as suas causas são minhas,  e os  seus inimigos desbaratados aos pés do meu escabelo. “ (Diário de Santa Faustina, parágrafo 723).


“Louvai ao Senhor, porque Ele é bom; porque eterna é a sua misericórdia. (...) Vós que temeis ao Senhor, repeti: ‘Eterna é a sua misericórdia.’...” (Salmo 117, 01-04)

Sua Misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que O temem (Lucas 1-50)



“Quando uma alma se aproxima de Mim com confiança, encho-a de tantas graças, que ela não pode encerrá-las todas em si mesma e as irradia para as outras almas.” (Diário de Santa Faustina, parágrafo 1074).

Saiba como Rezar o Terço da Divina Misericórdia!


(clique na imagem acima, para ampliá-la)

Mas o que Jesus disse a respeito desta devoção?

Leia abaixo:


Pela recitação deste Terço agrada-Me dar tudo o que Me peçam. Quando os pecadores empedernidos o recitarem, encherei de paz as suas almas, e a hora da morte deles será feliz. Escreve isto para as almas atribuladas: Quando a alma vir e reconhecer a gravidade dos seus pecados, quando se abrir diante dos seus olhos todo o abismo da miséria em que mergulhou, que não se desespere, mas antes se lance com confiança nos braços da Minha misericórdia, como uma criança no abraço da sua querida mãe. Essas almas têm prioridade no Meu Coração compassivo, elas têm primazia à Minha misericórdia. Diz que nenhuma alma que tenha invocado a Minha misericórdia se decepcionou ou experimentou vexame. Tenho predileção especial pela alma que confiou na Minha bondade. Escreve que, quando recitarem esse Terço junto aos agonizantes, Eu Me colocarei entre o Pai e a alma agonizante não como justo Juiz, mas como Salvador misericordioso” (Diário, 1541).


“Defendo toda alma que recitar esse terço na hora da morte, como se fosse a Minha própria glória (…) Quando recitam esse terço junto a um agonizante, aplaca-se a ira de Deus, a misericórdia insondável envolve a alma” (Diário, 811)

“Oh! que grandes graças concederei às almas que recitarem esse Terço.

(…) Anota estas palavras, Minha filha, fala ao mundo da Minha misericórdia, que toda a humanidade conheça a Minha insondável misericórdia. Este é o sinal para os últimos tempos; depois dele virá o dia da justiça. Enquanto é tempo, recorram à fonte da Minha misericórdia, tirem proveito do Sangue e da Àgua que jorraram para eles” (Diário, 848) .

“Recita, sem cessar, este Terço que te ensinei. Todo aquele que o recitar alcançará grande misericórdia na hora da sua morte. Os sacerdotes o recomendarão aos pecadores como a última tábua de salvação. Ainda que o pecador seja o mais endurecido, se recitar este Terço uma só vez, alcançará a graça da Minha infinita misericórdia” (Diário, 687).

A FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA

"Quero que essa Imagem, que pintarás com o pincel,seja benzida solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia."  (Diário, 49).

"Desejo que, no primeiro domingo depois da Páscoa, a Imagem seja exposta publicamente. Esse Domingo é a Festa da Misericórdia. Pelo Verbo Encarnado dou a conhecer o abismo da Minhas misericórdia" (Diário, 88).

"Olha para o abismo da Minha misericórdia e dá a esta misericórdia louvor e glória. (...) Na festa da minha miserícórdia percorrerás o mundo inteiro e trarás as almas que desfalecem à fonte da Minha misericórdia. Eu as curarei e fortalecerei." (Diário, 206).

"Durante a oração ouvi estas palavras interiormente: 'Os dois raios representam o Sangue e a Água: o raio pálido significa a Água que justifica as almas; o raio vermelho significa o Sangue que é a vida das almas. Ambos os raios jorraram das entranhas dsa MInha misericórdia, quando na Cruz, o Meu Coração agonizante foi aberto pela lança. Estes raios defendem as almas da ira de Meu Pai. Feliz aquele que viver à sua sombra, porque não será atingido pelo braço da Justiça de Deus. Desejo que o primeiro domingo depois da Páscoa seja a Festa da Misericórdia.'..." (Diário, 299).

"Pede ao meu servo fiel [o sacerdote] que, neste dia, fale ao mundo inteiro desta minha grande misericórdia, que aquele que, nesse dia, se aproximar da Fonte da Vida, alcançará o perdão total de suas culpas e penas. A Humanidade não encontrará a paz enquanto não se voltar, com confiança, para a Minha misericórdia." (Diário, 300).



quinta-feira, 29 de março de 2018

SEXTA-FEIRA SANTA - DIA DE MEDITAR PROFUNDAMENTE A PAIXÃO DE CRISTO.

Prezados amigos do Grupo de Oração Água Viva:

É com o coração cheio de alegria que me ponho a escrever, em plena Sexta-Feira Santa, dia de meditar profundamente a dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Conforme ensinamento constante no livro Imitação de Cristo: “Se não sabes contemplar as coisas celestiais, medita na paixão do Salvador, e habita gostosamente em suas chagas sagradas” (Imitação de Cristo, Editora Ave-Maria, Livro II, Capítulo 4, Pág. 131). Portanto, passemos agora a reviver em nosso coração os momentos marcantes de Jesus, para que possamos ter paciência e força diante dos sofrimentos do mundo.

I- PRIMEIRO MISTÉRIO DOLOROSO – A AGONIA NO HORTO:

Após o encerramento da ceia pascal, Jesus dirigiu-se ao Monte das Oliveiras, local onde passou a angustiar-se em razão de tudo o que haveria de lhe acontecer nas próximas horas.

Assim diz a Palavra:

“...Retirou-se Jesus com eles para um lugar chamado Getsâmani e disse-lhes: ‘Assentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar.’ E, tomando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e angustiar-se. Disse-lhes, então: ‘Minha alma está triste até a morte. Ficai e vigiai comigo.’ Adiantou-se um pouco e, prostrando-se com a face por terra, assim rezou: ‘Meu Pai, se é possível, afasta de mim este cálice! Todavia não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres.’...” (Mateus, 26, 36-39)


Em face da agonia, o inimigo aproximou-se e tentou violentamente Jesus, no intuito de convencê-lo a desobedecer ao Pai. Jesus, porém, fez-se obediente até a morte, dando-nos o exemplo de como devemos reagir diante das sugestões daquele que se opõe a Deus, que é obedecendo ao Pai até o último momento de vida.
Além disso, é preciso observar que nós, quando estivermos diante de momentos angustiantes, precisamos nos voltar ao Pai, com obediência e resignação.
Por último, observemos que Nosso Senhor Jesus Cristo nos mostrou o caminho da Cruz, o caminho da vida, a chave do Céu. Se houvesse outro caminho para a Salvação, que não a Cruz, Jesus o teria mostrado, com exemplos e palavras.



"Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca".

II- SEGUNDO MISTÉRIO DOLOROSO - A FLAGELAÇÃO DE JESUS:

Muito embora o tenha reconhecido inocente, Pilatos manda flagelar Jesus, que é submetido ao escárnio pelos soldados romanos. Jesus sofre muitas chicotadas, a ponto de quase ser morto ali mesmo.
Meditando sobre a flagelação de Jesus, observamos que, muitas vezes, nós também somos flagelados pelos problemas da vida, principalmente os problemas no âmbito familiar. Nós também já sentimos o duro flagelo de ser rejeitado (a) pelas pessoas que mais amamos. Já sentimos também o duro flagelo da doença, do abandono, da crítica, do desprezo, das dificuldades financeiras.


Portanto, diante da tribulação e da flagelação representada pela cruz pessoal de cada um de nós, PACIÊNCIA. Pois é o caminho da tribulação, a porta estreita, que leva ao Reino dos Céus. Se Jesus também sofreu, muito embora reconhecidamente INOCENTE, também nós poderemos passar – e por certo passaremos – por momentos de tribulação. Nessas horas, é fundamental estar com a palavra de Deus bem presente na vida, para pô-la em prática, pois é o sopro de CRISTO (o Evangelho) que aniquila todos os males.
III- TERCEIRO MISTÉRIO DOLOROSO – A COROAÇÃO DE ESPINHOS:

Não bastasse a flagelação injusta, Jesus ainda foi submetido a profunda humilhação por parte dos soldados romanos, que lhe confeccionaram uma coroa de espinhos, lhe cobriram com um manto escarlate (vermelho), e lhe cuspiam e esbofeteavam, gritando jocosamente “Salve o Rei dos Judeus”.


Você talvez já tenha passado por situação assim, de se ver ou se sentir humilhado. Quando isso ocorre, tenha paciência. Lembre-se do que está escrito em Eclesiástico, capítulo 2:


“Meu filho, se entrares no serviço de Deus, permanece firme na justiça e no temor, e prepara tua alma para a provação; humilha teu coração espera com paciência, dá ouvidos e acolhe as palavras de sabedoria; não se perturbe no tempo da infelicidade, sofre as demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência, a fim de que no derradeiro momento de vida se enriqueça.
Aceita tudo o que te acontecer. Na dor permanece firme; na humilhação tem paciência. Pois é pelo fogo que se experimenta o ouro e a prata, e os homens [e mulheres] agradáveis a Deus, pelo caminho da humilhação. Põe a tua confiança em Deus e ele te salvará; orienta bem o teu caminho e espera nele. Conserva o temor a ele até na velhice.”


Você também pode passar por isso, sentir-se humilhado no trabalho, em casa, nos lugares onde precisa ir. Pense muito no trecho bíblico acima citado. Lembre que a palavra de Deus é o sopro que aniquila todos os males. Além disso, se o próprio Cristo foi humilhado e não teve nenhuma reação diante dos opróbrios, é porque esta é a forma mais recomendada de enfrentar uma situação que – pelo menos momentaneamente – se revela imodificável.

IV- JESUS CARREGANDO A CRUZ.

Momento de intenso sofrimento é quando Jesus é obrigado a carregar a própria cruz. Medite cada passo do Senhor dos Passos. Quanta dor, quanto sofrimento. O peso esmagador da cruz, sobrecarregada pelos pecados do mundo. Lembre que Jesus já vinha de uma noite toda de agonia e tortura, estando sem dormir e, possivelmente, sem comer nem beber. Lembre também de São Bernardo, que recebeu a revelação de que a chaga mais dolorosa de Jesus era a chaga do ombro, no qual ele tinha de apoiar a cruz. Pense no Divino Mestre, em seus passos sofridos, cambaleantes, nas três quedas que sofreu. Não deixe de meditar no momento especial do encontro entre a Mãe e o Filho. Será que existe dor maior para uma mãe ver o filho nestas condições.



V- NO QUINTO MISTÉRIO, MEDITE A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS.

Procure meditar a forma estúpida e violenta como Jesus foi crucificado. Lembre-se do Salmo 22 (21):

“Meu Deus, meu Deus, porque me abandonastes? (...) Eu, porém, sou um verme, não sou homem, o opróbrio de todos e a abjeção da plebe. Todos os que me vêem zombam de mim. Dizem, meneando a cabeça: ‘Esperou no Senhor, pois que ele o livre; que o salve se o ama’. (...) Cercam-me touros numerosos, rodeiam-me touros de Basã; contra mim eles abrem suas fauces, como o leão que ruge e arrebata. Derramo-me como água, todos os meus ossos se desconjuntam; meu coração tornou-se como cera, e derrete-se nas minhas entranhas. Minha garganta está seca qual barro cozido, pega-se no paladar a minha língua: vós me reduzistes ao pó da morte. Sim, rodeia-me uma malta de cães, cerca-me um bando de malfeitores. Transpassaram minhas mãos e meus pés: poderia contar todos os meus ossos. Eles me olham e me observam com alegria, repartem entre si as minhas vestes, e lançam a sorte sobre a minha túnica...”

Não é preciso muito esforço para perceber que Jesus padeceu enorme sofrimento. Além da humilhação, Jesus ainda foi transpassado pelos pregos, fixado na cruz e elevado para a salvação do mundo.
Era em torno do meio-dia. Jesus permaneceu nesta agonia profunda até às 3 horas da tarde, momento em que expirou e morreu.
Medite e tenha certeza: FOI TUDO POR VOCÊ, POR AMOR A VOCÊ!
Jesus foi crucificado para resgatar a dívida e a dignidade da espécie humana. Isso inclui, obviamente, você também. Toda vez que você olhar para um crucifixo lembre: FOR POR NÓS, POR TODOS NÓS, QUE JESUS ENTREGOU A SUA VIDA.
O SANGUE que JORROU DA CRUZ é fonte de misericórdia para todos os seres humanos, um manancial inesgotável, uma abismo infinito do amor de Deus para com todas as pessoas. Feliz quem, no momento favorável, confia-se na incomparável e imensurável misericórdia de DEUS. Quem não confiar e não buscar a misericórdia, enfrentará a JUSTIÇA!





Foi por VOCÊ, porque o (a) amo, no mais profundo do meu coração.









Ascese - o que é o ascetismo? Qual a importância da ascese?


Resultado de imagem para ascese




De início, apresento um fragmento da obra Svmma Daemoniaca, do sacerdote espanhol Padre José Antonio Fortea:

“A Igreja conta entre os seus membros com Cardeais, Bispos, Pastores de todos os tipos, teólogos, pessoas que trabalham com a Caridade, Missionários etc… Mas o que o demônio odeia mesmo é o ASCETICISMO. Isso nós podemos dizer com segurança, porque ninguém é tentado tanto quanto aquele que é dedicado à ascese. Caso aquele que realize uma função eclesial ou um ministério, leve nisso os anos que for, se decide começar uma vida mais ascética, comprovará que as tentações se multiplicam por cem. Isso se deve ao fato de que o Maligno sabe muito bem que a ascese é uma força poderosíssima, é a força da Cruz, e a força da Cruz quebra a influência dele no mundo.
Alguém poderia dizer que o demônio mais deveria temer é o amor e, portanto, o que mais ele deveria odiar seriam as obras de caridade. Mas ele sabe que àquele que inicia o caminho de ascese, se perseverar, Deus concederá o dom da caridade em grau supremo. Entretanto, aquele que se dedica exclusivamente a realizar as obras de caridade pode nunca chegar a uma vida ascética.
Há pessoas que têm dedicado sua vida inteira às obras de caridade, e, contudo, abrigam muitos defeitos em sua alma. Alguém pode dedicar – se a ajudar os pobres e os enfermos, por exemplo, entretanto fazê – lo com murmurações, críticas, desobediência, etc. Porém, se o asceta perseverar na purificação gradual de sua alma, obterá todos os dons. Por isso o demônio odeia o asceta com maior intensidade que a hierarquia eclesiástica ou mesmo aos exorcistas. O exorcista expulsa um, dois, uma dúzia de demônios… O asceta quebra de um modo muito mais poderoso a influência demoníaca neste mundo, simplesmente por ostentar sobre seu corpo e seu espírito a paixão cotidiana de sua vida crucificada.” (Editora Palavra e Prece)
Resultado de imagem para ascese


Portanto, considerando a importância do tema, tem-se que precisamos aprender muito sobre a ascese. Nós não gostamos dos exercícios espirituais que Jesus nos proporciona, antes fugimos deles. Entretanto, enquanto lutamos para purificar nossas almas, para fugir do pecado, para levar um vida agradável a Deus; enquanto suportamos o peso e as dores da vida e as próprias pessoas com quem temos de conviver, estamos nos colocando em condições de viver uma vida frutuosa e extremamente agradável a Deus. Às vezes nos sentimos usados pelas pessoas, até escravizados, parece que enquanto tentamos ser bons muitos se aproveitam, mas Jesus nos pede que sejamos bons mesmo assim. Benditas lutas e batalhas de todos os dias que nos obrigam a nos exercitarmos com frequência de acordo com a vontade de Deus. Isso tudo unido à obediência, à boa vontade e à vida de oração é muito importante!

Entretanto, conceituar a ascese é algo complicado, é preciso debruçar-se sobre o assunto e esforçar-se para compreender. Mas posso dizer aos queridos (as) irmãos (ãs) que ascese parte da ideia de exercício (a palavra tem origem grega semelhante ao termo atleta). O maravilhoso e indispensável livro Imitação de Cristo, que Santa Teresinha trazia sempre consigo no bolso do vestido, diz que convém a cada um de nós sermos exercitados nas adversidades do que tudo saia segundo a nossa vontade. Observado isso, podemos trocar algumas ideias com vocês, queridos (as) irmãos (ãs):

1) O asceta esforça-se para renunciar aos prazeres da carne, o que envolve não só a sexualidade, como também os olhares indiscretos, a gula, a tagalerice; o apego desordenado às coisas materiais, aos cargos e posições (coordenação disso ou daquilo etc)... 

 2) O asceta procura guardar o silêncio, bem como não exige que a sua opinião prevaleça sobre a dos outros (mantém silêncio e não solta a palavra de réplica quando é afrontado, ou seja, não responde a uma provovação)... O silêncio é uma espada de ouro na vida e nas lutas espirituais, instrumento eficiente e valiosíssimo [lembrem que o asceta busca purificar continuamente o seu coração e que Jesus ensinou que o que nos torna impuros é o que sai da nossa boca, ou seja, nossas palavras]... 

3) O asceta tem um coração obediente aos superiores, especialmente aos sacerdotes, tem na verdade uma obediência como se fosse um criança muito bem educada; mas também tem personalidade para reagir quando a ordem é manifestamente ilegal ou pecaminosa... 

4) O asceta suporta as demoras de Deus e sabe imitar Jesus no Horto das Oliveiras, renunciando à vontade própria e dizendo "seja feita Sua vontade e não a minha".... 

5) O asceta valoriza sobremodo a caridade e cresce muito em caridade, pois Deus a concede em grau cada vez mais elevado... 

6) O asceta suporta pessoas insuportáveis, até procura o convívio delas, pois bem sabe que nisso consiste um amor extraordinário. O asceta cuida daqueles que ninguém quer cuidar e até até se antecipa para está à disposição daquelas pessoas com temperamento difícil de aturar... 

7) O asceta suporta situações adversas e confia em Deus cada vez mais, sabe esperar, e sabe muito bem que Deus vai agir na hora certa (tem uma certeza interior de que tudo sairá bem, mesmo sem saber como isso ocorrerá)... 

8) O asceta sofre com as tentações, aliás, as tentações são mais intensas no asceta do que nas outras pessoas 'comuns', porém o asceta santifica-se na luta do dia-a-dia para conservar a pureza de espírito e de corpo... 

9) O asceta sabe que não vai ter reconhecimento algum por suas boas obras e por seus sacrifícios (não aqui na terra), e, mesmo assim, continua a sacrificar-se e santificar-se cada vez mais... 

10) O asceta é muito desprezado pelas pessoas, ninguém nota sua importância, antes o consideram um exagerado, um fanático, um 'idade média', porém o asceta não se intimida com isso e continua sua vida de oração e privações dos prazeres mundanos... 

11) O asceta também é uma luz que as pessoas lembram quando precisam [no mais das vezes só quando precisam], vive sendo incomodado nas horas mais inoportunas..., mas, mesmo assim, atende com boa vontade os que o chamam, mesmo sabendo que serão ingratos e esquecerão sua ajuda logo em seguida e logo falarão até mal de si... 

12) O asceta sofre muito com as incompreensões, principalmente dentro da própria família... Às vezes se sente um estranho para o próprio cônjuge, ou, como diz o salmista, um estrangeiro para os meus irmãos. Mas vos garanto, é uma maravilha quando isso chega a esse ponto... 

"...Tornei-me um estranho para meus irmãos, um desconhecido para os filhos de minha mãe. É que o zelo de vossa casa me consumiu, e os insultos dos que vos ultrajam caíram sobre mim. Por mortificar minha alma com jejuns, só recebi ultrajes. Por trocar minhas roupas por um saco, tornei-me ludíbrio deles. Falam de mim os que se assentam às portas da cidade, escarnecem-me os que bebem vinho. Minha oração, porém, sobe até vós, Senhor, na hora da vossa misericórdia, ó Deus..." (Salmo 68, 9-13).  

13) O asceta é uma alma solitária, mas na sua solidão está com Jesus e Maria o tempo todo, e se fortalece continuadamente nessa solidão...[Mesmo estando entre amigos e familiares o asceta sente-se sozinha por não encontrar quem concorde com sua forma de viver a castidade e a disciplina religiosa]...

14) O asceta faz qualquer coisa para estar diante do Santíssimo Sacramento, até é capaz de viajar para isso... Não pode ver uma igreja e logo se pergunta: 'Cadê o Sacrário?', 'Cadê o meu amado Jesus'... 

15) O asceta tem dor pelos seus pecados, confessa-os sempre que tem oportunidade para isso... O asceta confessa-se com frequência... 

16) Não existe asceta sem a Missa, a comunhão é o Pão Vivo do Amado Jesus que desce ao seu coração... Missa diária para o asceta é uma bênção, para 'delírio' dos parentes... [Jesus também não encontrava compreensão entre seus parentes, à exceção de Maria Santíssima, evidentemente]

17) O asceta acha a oração do Santo Terço um oração para as crianças [não que despreze a devoção, muito pelo contrário, mas sente a necessidade de intensificar as orações e rezar mais], o asceta reza o ROSÁRIO COMPLETO, pois é preciso rezar muito para permanecer no caminho e aprofundar-se cada vez mais... 

18) O asceta transpira santidade em tudo e cumpre suas obrigações no trabalho, na escola, na família muito bem... o trabalho não prejudica a ascese... Aliás, o asceta esforça-se sempre para fazer um trabalho bem feito [santificando seu ofício], mesmo sabendo que não será reconhecido... O asceta sabe a razão do trabalho e trabalha e o faz tudo por amor a Deus, e para Deus sempre faz o melhor que pode.... 

19) Isso não é tudo, mas se você se deu ao trabalho de ler até aqui é porque você está no caminho da santidade e Deus não será econômico em suas graças de você perseverar na ascese... CONTINUE meu (minha) irmãozinho (irmãzinha) 

Abaixo um importante fragmento do Diário de Santa Faustina:

"Fica sabendo minha filha (Santa Faustina), que o teu silencioso martírio de todos os dias, na total submissão à Minha vontade, leva muitas almas ao Céu. Quando te parecer que o sofrimento ultrapassa as tuas forças, olha para as Minhas Chagas, e te elevarás acima do desprezo e do juízo dos homens. A meditação sobre a Minha Paixão te ajudará e te elevarás acima de tudo. (Diário de Santa Faustina, parágrafo1184)
Resultado de imagem para ascese



sábado, 10 de março de 2018

NOVENA A SÃO JOSÉ!... (de 10 a 19 de março, de 22 de abril a 1.o de maio, e em qualquer outro tempo)

NOVENA A SÃO JOSÉ

(de 10 a 19 de março, de 22 de abril a 1.o de maio, e em qualquer outro tempo)

— 1º dia — São José, Pai Nutrício de Jesus.

Amabilíssimo São José, que tivestes a honra de alimentar, educar e abraçar o Messias, a Quem tantos profetas e reis desejaram ver e não viram: obtende-me, com o perdão das minhas culpas, a graça da oração humilde e confiante que tudo alcança de Deus. Acolhei com bondade paternal os pedidos que vos faço nesta Novena ..... e apresentai-os a Jesus que se dignou de obedecer-vos na terra. Amém.
Rogai por nós, São José, Pai Nutrício de Jesus.
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

PARA TODOS OS DIAS: OREMOS! Ó Deus que por uma inefável Providência Vos dignastes escolher o bem-aventurado São José para Esposo de vossa Mãe Santíssima: concedei-nos que aquele mesmo que na terra veneramos como Protetor, mereçamos tê-lo no céu por nosso Intercessor. Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém.

— 2º dia — São José, Esposo da Mãe de Deus.
São José, castíssimo Esposo Mãe de Deus e Guarda fiel de sua virgindade: obtende-me por Maria a pureza do corpo e da alma e a vitória em todas as tentações e dificuldades. Recomendo–vos também os esposos cristãos para que unidos com sincero amor e fortalecidos pela graça se amparem mutuamente nos sofrimentos e tribulações da vida. Amem.

Rogai por nós São José, Esposo da Mãe de Deus:
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS! ... [oração para todos os dias]

— 3º dia — São José, Chefe da Sagrada Família.

Glorioso São José, que gozastes durante tantos anos da presença e filial afeição de Jesus, a Quem tivestes a dita de alimentar e vestir, juntamente com vossa Santíssima Esposa: eu vos suplico me alcanceis o dom inefável de sempre viver em união com Deus pela graça santificante. Obtende também para os pais cristãos a graça do fiel cumprimento de seus graves deveres de educadores e, aos filhos, o respeito e a obediência segundo o exemplo do Menino Jesus. Amém.

Rogai por nós, São José Chefe da Sagrada Família.
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!
OREMOS! ... [oração para todos os dias]

— 4º dia — São José, Exemplo de Fidelidade.
Fidelíssimo São José, que nos destes tão belo exemplo no fiel cumprimento de vossos deveres de Protetor da Santíssima Virgem e de Pai Nutrício do Redentor: rogo-vos me obtenhais a graça de imitar o vosso exemplo na fidelidade a todos os deveres do meu estado de vida. Ajudai-me a ser fiel nas coisas pequenas para o ser também nas grandes Alcançai essa mesma graça para todos que me são caros nesta vida, a fim de chegarmos a gozar no céu o prêmio prometido aos que forem fiéis até a morte. Amém.

Rogai por nós, São José, Exemplo de Fidelidade.
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS! ... [oração para todos os dias]

— 5º dia — São José, Espelho de Paciência.

Bondoso São José que suportastes com heróica paciência as provações e adversidades na viagem a Belém, na fuga para o Egito e durante a vida oculta em Nazaré e me destes o exemplo de admirável conformidade com a vontade de Deus: obtende-me a virtude da paciência nas dificuldades de cada dia. Alcançai também invencível paciência a todos que suportam pesadas cruzes, a fim de que se unam sempre mais a Jesus divino modelo de mansidão e paciência Amém.

Rogai por nós São José, Espelho de Paciência:
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!


OREMOS!... [oração para todos os dias]

— 6º dia — São José, Modelo dos Operários.
Humilde São José, que, vivendo em pobreza. dignificastes a vossa profissão pelo trabalho constante e vos sentistes feliz em servir a Jesus e Maria com o fruto de vossos suores: alcançai-me amor ao trabalho, que me foi imposto como dever de estado, procurando cumprir nisto sempre a vontade de Deus. Protegei os lares dos Operários do Brasil contra as influências nefastas dos inimigos de Cristo e da Santa Igreja. Obtende-lhes a graça de santificarem o seu trabalho pela reta intenção em tudo conformados com os desígnios da Divina Providência. Amém.

Rogai por nós, São José, Modelo dos Operários;
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!


OREMOS!...[oração para todos os dias]

— 7º dia — São José, Protetor da Santa Igreja.

Glorioso Patriarca São José, Protetor e Padroeiro da Igreja Universal: obtende-me a graça de amar a Igreja como Mãe e de a honrar como verdadeiro discípulo de Cristo. Rogo-vos que veleis sobre o Seu Corpo Místico, como outrora velastes sobre Jesus e Maria. Protegei o Santo Padre e os Bispos, os Sacerdotes e os Religiosos. Alcançai-lhes santidade de vida e eficácia no apostolado. Guardai a inocência da infância a castidade da juventude a honestidade do lar, o ordem e paz da Sociedade. Amém.

Rogai por nós, São José, Protetor da Santa Igreja;
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

OREMOS!...[oração para todos os dias]

— 8º dia — São José, Esperança dos Enfermos.

Compassivo São José, esperança dos doentes e necessitados: valei-me em todas as enfermidades e tribulações alcançando-me plena conformidade com os admiráveis desígnios de Deus. Obtende-me também para mim e para todos, pelos quais rezo nesta Novena, a cura das enfermidades espirituais que são as paixões desordenadas, fraquezas, faltas e pecados e protegei-nos contra as tentações do inimigo da nossa salvação amém.

Rogai por nós, São José, Esperança dos Enfermos;
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!


OREMOS! ... [oração para todos os dias]

— 9º dia — S. José, Padroeiro dos Moribundos.

Ditoso São José que, morrendo nos braços de Jesus e Maria, partistes deste mundo ornado de Virtudes e enriquecido de méritos: Assisti-me na hora suprema e decisiva da minha vida contra os ataques do poder infernal. Obtende-me a graça de morrer confortado com os santos Sacramentos, necessários para a minha salvação. Tendo compaixão de todos os agonizantes. alcançando-lhes a graça da salvação por intermédio de Maria, vossa Santíssima Esposa. Amém.
Rogai por nós, São José, Padroeiro dos Moribundos. 
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!
OREMOS!... [oração para todos os dias]
Pode acrescentar-se todos os dias:
ORAÇÃO: Glorioso São José, que fostes exaltado pelo Eterno Pai, obedecido pelo Verbo Encarnado, favorecido pelo Espírito Santo e amado pela Virgem Maria: Louvo e bendigo a Santíssima Trindade pelos privilégios e méritos com que vos enriqueceu. Sois poderosíssimo e jamais se ouviu dizer que alguém tenha recorrido a vós e fosse por vós desamparado. Sois o Consolador dos aflitos, o amparo dos míseros e o advogado dos pecadores. Acolhei, pois, com bondade paternal a quem vos invoca com filial confiança e alcançai-me as graças que vos peço nesta NOVENA . . . Eu vos escolho por meu especial Protetor. Sede, depois de Jesus e Maria, minha consolação nesta terra, meu refugio nas desgraças meu guia nas incertezas, meu conforto nas tribulações meu pai solícito em todas as necessidades. Obtende-me finalmente como coroa dos vossos favores, uma boa e santa morte graça de Nosso Senhor Assim seja.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Terço da Libertação - como rezar!...

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”

Terço da Libertacao
 
Tenho me encontrado com diversas situações de pessoas pedindo ajuda devido aos seus sofrimentos. Muitos destes sofrimentos são espirituais, marcados também por doenças, por problemas familiares e etc…
 
A verdade é que muitas vezes não é possível fazer nada que lhes possa aliviar as difíceis situações que passam, a não ser lhes aconselhar a se apegarem a Jesus Cristo por meio da Oração, pois Ele sim pode resolver tudo o que hoje traz sofrimentos á estas pessoas, e ajudar a cada uma delas a supera – los. Ainda que as pessoas nao encontrem respostas ou soluções para os seus problemas de imediato, certamente Jesus lhes dará a paciência e a capacidade de suporta – los, até que a Providencia Divina os ajude a vencer estes sofrimentos…
 
Tenho entendido que as vezes as pessoas não conseguem cultivar por si mesmas uma vida de oração, ainda que saibam que é necessário. Não conseguem rezar, ler a Palavra, ir a Missa, rezar o terço etc…Ainda que saibam que é necessário, não conseguem reagir…
 
Mas nestes casos o mais importante é criar um ritmo de Vida de oração, para que em Deus possam viver estes sofrimentos…Por isso tenho percebido, e não é de hoje, a eficácia do Terço da Libertação na vida das pessoas que precisam criar um ritmo de vida de Oração, e ao mesmo tempo receberem graças espirituais como curas e libertações…
 
Quando muito jovem, eu me lembro que por muitas vezes eu rezava o Terço da Libertação, por mim e pelas pessoas que me pediam oração. Ele é uma ótima oração de intercessão. E por ser fácil de rezar e não demorar, eu rezava diversos terço num único dia.

É um Terço todo baseado na Palavra de Deus, o que certamente o torna eficaz e poderoso. Neste Terço você repete por 206 vezes o poderoso Nome de Jesus, e por isso há tantos testemunhos de Curas e Libertações recebidas através dele.

Pois a Palavra de Deus nos afirma:
Todo o que invocar o nome do Senhor será salvo (Rom 10,13).
Em nenhum outro (Nome) há salvação…(At 4,12).

E ainda:

Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos.(Fl 2, 10)
Por isso recomendo a você que sempre reze essa Oração, certamente colherá grandes graças para a sua vida. Este Terço te ajudará a criar ritmo de Oracao pessoal, fazendo que em pouco tempo você também consiga rezar mais espontaneamente, ajudará a você rezar o Rosario, Ler e meditar a Palavra de Deus e assim por diante…
Comece por ele, não tenha receios…Ele é eficaz porque nele esta a Palavra de Deus e o Santo Nome de Jesus.
Abaixo uma breve explicação de como reza – lo:

Como rezar o terco da Libertacao - Livres de todo mal

ÍNICIO
– Creio em Deus Pai
NAS CONTAS GRANDES:
Se Jesus me libertar, serei verdadeiramente livre!
ou
Se Jesus nos libertar, nós seremos verdadeiramente livres!
– Se a oração for para outra pessoa diga:
Se Jesus libertar “nome da pessoa”, ele/ela será verdadeiramente livre!



NAS CONTAS MENORES:
Jesus tem piedade de mim!
Jesus cura-me!
Jesus salva-me!
Jesus liberta-me!
ou
Jesus tem piedade de nós!
Jesus cura-nos!
Jesus salva-nos!
Jesus liberta-nos!

Se a oração for para outra pessoa diga:

Jesus tende piedade de “nome da pessoa”!
Jesus cura “nome da pessoa”!
Jesus salva “nome da pessoa”!
Jesus liberta “nome da pessoa”!
FINALSalve Rainha

Fonte: https://blog.cancaonova.com/livresdetodomal/como-rezar-o-terco-da-libertacao/
 

terça-feira, 6 de março de 2018

A Oração, o Jejum e a Misericórdia. São Pedro Crisólogo

Segunda leitura Dos Sermões de São Pedro Crisólogo, bispo (Sermo 43: PL 52,320.322) (Séc.IV).

       O que a oração pede, o jejum o alcança e a misericórdia o recebe Há três coisas, meus irmãos, três coisas que mantêm a fé, dão firmeza à devoção e perseverança à virtude. São elas a oração, o jejum e a misericórdia. O que a oração pede, o jejum alcança e a misericórdia recebe. Oração, misericórdia, jejum: três coisas que são uma só e se vivificam reciprocamente. 

        O jejum é a alma da oração e a misericórdia dá vida ao jejum. Ninguém queira separar estas três coisas, pois são inseparáveis. Quem pratica somente uma delas ou não pratica todas simultaneamente, é como se nada fizesse. 

        Por conseguinte, quem ora também jejue; e quem jejua, pratique a misericórdia. Quem deseja ser atendido nas suas orações, atenda as súplicas de quem lhe pede; pois aquele que não fecha seus ouvidos às súplicas alheias, abre os ouvidos de Deus às suas próprias súplicas. 

        Quem jejua, pense no sentido do jejum; seja sensível à fome dos outros quem deseja que Deus seja sensível à sua; seja misericordioso quem espera alcançar misericórdia; quem pede compaixão, também se compadeça; quem quer ser ajudado, ajude os outros. Muito mal suplica quem nega aos outros aquilo que pede para si. Homem, sê para ti mesmo a medida da misericórdia;deste modo alcançarás misericórdia como quiseres, quanto quiseres e com a rapidez que quiseres; basta que te compadeças dos outros com generosidade e presteza. 

       Peçamos, portanto, destas três virtudes – oração,jejum, misericórdia – uma única força mediadora junto de Deus em nosso favor; sejam para nós uma única defesa, uma única oração sob três formas distintas. Reconquistemos pelo jejum o que perdemos por não saber apreciá-lo; imolemos nossas almas pelo jejum, pois nada melhor podemos oferecer a Deus como ensina o Profeta: Sacrifício agradável a Deus é um espírito penitente; Deus não despreza um coração arrependido e humilhado (cf. Sl 50,19). 

          Homem, oferece a Deus a tua alma, oferece a oblação do jejum, para que seja uma oferenda pura, um sacrifício santo, uma vítima viva que ao mesmo tempo permanece em ti e é oferecida a Deus. Quem não dá isto a Deus não tem desculpa, porque todos podem se oferecer a si mesmos. Mas, para que esta oferta seja aceita por Deus, a misericórdia deve acompanhá-la; o jejum só dá frutos se for regado pela misericórdia, pois a aridez da misericórdia faz secar o jejum. O que a chuva é para a terra, é a misericórdia para o jejum. 

          Por mais que cultive o coração, purifique o corpo, extirpe os maus costumes e semeie as virtudes, o que jejua não colherá frutos se não abrir as torrentes da misericórdia. Tu que jejuas, não esqueças que fica em jejum o teu campo se jejua a tua misericórdia; pelo contrário, a liberalidade da tua misericórdia encherá de bens os teus celeiros. Portanto, ó homem, para que não venhas a perder por ter guardado para ti, distribui aos outros para que venhas a recolher; dá a ti mesmo, dando aos pobres, porque o que deixares de dar aos outros, também tu não o possuirás.

Fonte http://liturgiadashoras.org/

Terça-feira da Terceira Semana da Quaresma III Semana do Saltério

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

TERÇO LIBERTADOR DE SÃO BENTO

               
 I- Creio.... Pai Nosso.... Ave- Maria.
II- Contas do Pai Nosso
A Cruz Sagrada seja minha luz. Não seja o Dragão meu guia. Retira-te satanás. Nunca me aconselhe coisas vãs. É mau o que tu me ofereces. Bebe tu mesmo do teu veneno.
  Nas contas da Ave-Maria
Afasta-te de mim satanás. Pois é em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santoque te expulso de mim, dos meus pensamentos, da minha casa e que o próprio DEUS te acorrente, que te jogue para bem longe onde a mim nada poderás fazer.
 Salve Rainha.

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

NOVENA DO SANTO PADRE PIO DE PIETRELCINA A NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE POMPÉIA

NOVENA DO SANTO PADRE PIO DE PIETRELCINA A NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE POMPÉIA

DEVOÇÃO DAS TRÊS NOVENAS

Padre Pio depositava uma fé inabalável nas “Três Novenas” a Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, recomendando-as muitas vezes a seus filhos espirituais nas cartas que lhes escrevia.
A “Novena a Nossa Senhora do Rosário de Pompéia” elaborada pelo Bem Aventurado Bartolo Longo, em 1879, deve ser rezada três vezes em seguida, para implorar graças nos casos considerados mais desesperados.
Padre Pio recomendava ainda que os que fizessem deveriam receber a “Comunhão diária em honra de Nossa Senhora” e rezar o Rosário inteiro, todos os dias da Novena. Our Lady of the Rosary of Pompeii2
NOVENA A NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE POMPÉIA
Para implorar graças nos casos mais desesperados
Ó Santa Catarina de Sena, minha Protetora e Mestra, vós que assistis do Céu aos vossos devotos quando rezam o Rosário de Maria, assisti-me neste momento, e dignai-vos rezar juntamente comigo esta novena à Rainha do Rosário, que estabeleceu o trono de suas graças no Vale de Pompéia, a fim de que, por vossa intercessão, eu obtenha a graça que desejo. Amém.
– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

(Glória)
1. Ò Virgem Imaculada e Rainha do Santo Rosário, vós, nestes tempos de fé extinta e impiedade triunfante, quiseste estabelecer a vossa sede de Rainha e Mãe sobre a antiga Pompéia, morada dos mortos pagãos. E, desse lugar onde eram adorados os ídolos e os demônios, vós, hoje como Mãe da divina graça, espalhais, por toda a parte, os tesouros das celestes misericórdias. Oh! Volvei, também sobre mim, ó Maria, desse trono em que reinais piedosamente, os vossos olhos misericordiosos, e tende compaixão de mim, que tanto necessito do vosso socorro. Mostrai-vos também a mim, como a tantos outros vos tendes mostrado, verdadeira MÃE DE MISERICÓRDIA, enquanto eu, de todo o coração vos saúdo e vos invoco, ó soberana Rainha do Sacratíssimo Rosário. Amém.
(Salve Rainha)
2. Prostrado aos pés de vosso trono, ó grande e gloriosa Senhora, minha alma vos venera em meio dos gemidos e das angustias que pesam intensamente sobre ela. Nestes temores e agitações em que me encontro, levanto cheio de confiança os olhos para vós, que vos dignastes eleger, para vossa morada, as terras de pobres e abandonados camponeses. E ali, em face da cidade e do anfiteatro dos prazeres mundanos onde reinam o silencio e a ruína, vós, como RAINHA DAS VITÓRIAS, levantastes a vossa voz poderosa para chamar de todos os pontos da Itália e do mundo católico os vossos devotos e filhos para vos construírem um Templo. Ó Senhora, tende compaixão desta minha alma que jaz na miséria; tende piedade de mim que estou cheio de miséria e humilhações. Vós, que sois o extermínio dos demônios, defendei-me destes inimigos que me assaltam; Vós, que sois o SOCORRO DOS CRISTÃOS, tirai-me destas tribulações em que miseravelmente estou mergulhado. Vós, que sois a NOSSA VIDA, triunfai da morte que ameaça minha alma nestes perigos a que está exposta: restituí-me a paz, a tranqüilidade, o amor e a saúde! Amém.
(Salve Rainha)
3. Ah! Sabendo que são numerosos aqueles que têm sido por vós beneficiados, unicamente porque recorreram a vós com Fé, sinto novo desejo e coragem de vos invocar em meu socorro. Vós já prometestes outrora a São Domingos que, quem quisesse graças, com o vosso Rosário as obteria, e eu, com o rosário na mão, vos chamo, ó Mãe, ao cumprimento das vossas maternais promessas. Ainda agora, em nossos dias, operais contínuos prodígios, a fim de induzir os vossos filhos para vos honrarem no Templo de Pompéia. Quereis, pois, enxugar as nossas lágrimas, suavizar os nossos trabalhos! E eu, com o coração nos lábios, com viva fé, vos chamo e vos invoco: “Minha Mãe!”… Minha querida Mãe… Minha mãe tão bela!… Minha mãe dulcíssima, ajudai-me…” MÃE E RAINHA DO SACRATÍSSIMO ROSÁRIO DE POMPÉIA, não tardeis mais em estender-me a vossa mão poderosa para me salvar, pois a demora, como vedes, me levaria à ruína! Amém.
(Salve Rainha)
4. E a quem mais recorrerei eu, senão a vós, que sois o ALIVIO DOS AFLITOS, o CONFORTO DOS ABANDONADOS, a CONSOLAÇÃO DOS INFELIZES? Oh! Eu confesso, a minha alma é miserável, está sobrecarregada de enormes pecados, merece arder no Inferno, indigna de receber graças… Mas não sois vós a ESPERANÇA DOS DESESPERADOS, a grande MEDIANEIRA entre homem e DEUS, a nossa poderosa ADVOGADA junto ao trono do Altíssimo, o REFÚGIO DOS PECADORES? Oh! Basta que digais uma palavra, em meu favor, ao Vosso Filho e Ele vos ouvirá. Pedi-lhe, pois, ó Mãe, esta graça de que tenho tanta necessidade.
(Expõe-se a graça desejada)
Somente vós podeis obtê-la para mim. Vós, que sois a minha única esperança, a minha consolação, a minha doçura, e toda a minha vida. Assim espero! Amém.
(Salve Rainha)
5. Ó Virgem e Rainha do Sacratíssimo Rosário, vós que sois a Filha do PAI Celeste, a Mãe do Divino Filho, a Esposa do Espírito Septiforme. Vós, que tudo podeis junto à SANTÍSSIMA TRINDADE, deveis impetrar-me esta graça, que me é tão necessária, contato que não sirva de obstáculo à minha salvação eterna. (Expõe-se novamente a graça desejada) Eu vo-la rogo, pelo Coração de vosso adorável JESUS, pelos nove meses em que o trouxeste em vosso seio, pelos méritos dos sofrimentos de sua vida, pela sua cruel Paixão, pela Morte na Cruz, pelo seu Nome Santíssimo, pelo seu preciosíssimo Sangue. Peço-a, enfim, pelo vosso dulcíssimo Coração, pelo vosso nome glorioso, ó Maria que sois a ESTRELA DO MAR, a SENHORA PODEROSA, a PORTA DO CÉU, a MÃE DE TODAS AS GRAÇAS. Em vós confio, de vós tudo espero de bom. Vós me haveis de salvar! Amém.
(Salve Rainha)
– Tornai-me digno de vos louvar, ó Virgem Puríssima!
– Dai-me Força contra vossos inimigos!
– Rogai por nós, Rainha do Sacratíssimo Rosário!
– Para que sejamos dignos das promessas de Cristo!
OremosÓ Deus, cujo Filho Unigênito, por sua Vida, Morte e Ressurreição nos mereceu a graça da salvação eterna, concedei, nós vo-lo suplicamos, que meditando estes mistérios do Sacratíssimo Rosário da Bem–aventurada Virgem Maria, imitemos o que eles contêm e obtenhamos o que prometem. Por Cristo, Nosso Senhor. Amém.
(Acrescenta-se uma Ave-Maria pelo advogado Bartolo Longo.)
Oração a São Domingos e a Santa Catarina de Sena
Para obter graças de Nossa Senhora do Rosário de Pompéia
Ó Santo Sacerdote de Deus e glorioso Patriarca São Domingos, que fostes o amigo, o filho predileto e o confidente de Rainha Celeste, e tantos prodígios operastes por virtude do Santo Rosário; e vós, Santa Catarina de Sena, primeira filha desta Ordem e poderosa medianeira junto ao trono de Maria e junto ao Sacratíssimo Coração de Jesus, com quem trocastes o vosso coração; vós, meus diletos Santos, olhai para as minhas necessidades e tende compaixão do estado em que me vejo. Vós tivestes na terra o coração aberto a todas as misérias alheias, e a mão poderosa para mitiga-las; agora no Céu, não se diminuiu, nem a vossa caridade, nem o vosso poder. Pedi, oh! Pedi por mim, à Mãe do Rosário e ao seu Divino Filho, já que tenho grande confiança de que, por vosso intermédio, hei de conseguir a graça que tanto desejo. Amém.
(3 Glórias)
(1 Glória em honra de São Francisco de Assis e 1 em honra de Santo Tomás de Aquino, para obter o dom da pureza.)

☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆
NOVENA DE AGRADECIMENTO
A NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE POMPÉIA

Depois de rezar a primeira novena e receber a graça, reza-se esta novena meditando os quinze mistérios do Rosário, como pediu Nossa Senhora. Diante da imagem da Santíssima Virgem do Rosário, acendam-se duas velas, se possível, e, ajoelhados, tendo nas mãos o Rosário, reza-se:
Ó Deus, vinde em meu auxílio,
Senhor, apressai-vos em me socorrer.
(Glória)
1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.
(Salve Rainha)
2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.
(Salve Rainha)
3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.
(Salve Rainha)
4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram  um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.
(Salve Rainha)
5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

OS QUINZE MISTÉRIOS DO ROSÁRIO 
segundo Padre Pio
Mistérios Gozosos
 (segundas e quintas-feiras)

(Após cada mistério, rezar um Pai Nosso, dez Ave Marias e um Glória)
  1. Anunciação: Ó Maria, cheia de graça, pela humildade que fez de ti a Mãe de Deus, obtém também para nós uma encarnação do Verbo na qual toda a Vontade divina possa cumprir-se.
  2. Visita de Maria Santíssima a Isabel: Ó Maria, Mãe Divina, dá-nos o fruto de teu ventre para que, com teu exemplo, possamos conquistar o nosso próximo para Jesus, com uma caridade maravilhosa.
  3. Nascimento do Menino Jesus: Ó Maria, mais terna das Mães, preenche o nosso coração de ternura por teu pequeno Jesus e dá-nos a paz prometida aos homens de boa vontade.
  4. Apresentação de Jesus no templo: Ó Maria, resplandecente de beleza na real oferta de teu Jesus ao templo, oferece-nos totalmente a Deus em ato de perfeita obediência.
  5. Reencontro de Jesus no templo: Ó Maria, eterna suavidade, conserva-nos Jesus no coração, mas, se desafortunadamente o perdermos, faz com que logo o reencontremos.
Mistérios Dolorosos
 (terças e sextas-feiras)
  1. Agonia de Jesus no horto do Getsêmani: Ó Jesus agonizante no horto das oliveiras, infunde-nos a força de superar os abandonos e as desolações do coração e dá-nos a contrição pela ofensa a Deus.
  2. Flagelação de Jesus: Ó Jesus adorado, faz que cada gota do sangue que derramaste de tuas mãos feridas seja voz poderosa que nos atraia a ti sem reservas, para que possamos oferecer-te todo o nosso ser.
  3. Coroação de espinhos: Ó Jesus escarnecido, reprime a vaidade da nossa imaginação, separa-nos do transitório e prende-nos àquilo que dura para sempre! Por teu Sacerdócio Santo, dá-nos sacerdotes santos.
  4. Cruz de Jesus: Ó Maria, Mãe sofredora, faze que contigo sigamos Jesus que se fez fraco para dar-nos força, que caiu para que pudéssemos nos levantar. Que nada nos afasta da subida do nosso Calvário, para chegar ao cume e ali morrer com Jesus, assistidos por ti, Mãe amorosa!
  5. Morte de Jesus na cruz: Ó Maria, Rainha dos Mártires, faze com que morramos para nós mesmos a fim de que possamos viver e morrer com Jesus e para Jesus. Que a nossa separação da terra seja um perfeito ato de amor e de sofrimento, um ansiado suspiro do “Encontro”.
Mistérios Gloriosos
 (quartas-feiras, sábados e domingos)
  1. Ressurreição de Jesus: Ó Eterna Amada, dá-nos a tua humildade, para que, quando morrermos, Jesus possa nos dizer: Vem, querida alma, eu mesmo quero levantar-te porque te fizeste pequena!
  2. Ascensão de Jesus ao céu: Flor da Trindade, guia-nos ao puro amor e faze-nos compreender que, na terra, só teremos de conhecer uma única tristeza: a de não ser santos.
  3. Descida do Espírito Santo: Mãe do amor maravilhoso, tu que experimentaste todas as doçuras, acende em nosso coração a chama sagrada que nos faça morrer de amor para atirar-nos no eterno abraço ao lado de ti e de nosso amado Pai.
  4. Assunção de Maria ao céu: Mãe dulcíssima, enquanto nos alegramos por tua gloriosa subida ao céu, faze com que também nós possamos subir em companhia de todas as almas de nossos irmãos.
  5. Coroação de Maria Santíssima: Ó Rainha do Paraíso, que, acima dos anjos e dos santos, estás à direita de Jesus, a ti suspiramos neste vale de lágrimas. Protege-nos e não nos abandones até nos veres salvos no céu abençoando e cantando as misericórdias de Deus.
Fonte: LEITE, Silvana Cobucci. Padre Pio, crucificado por amor. 1ª edição. Editora Loyola, 2003.