sábado, 1 de dezembro de 2012

Misericórdia em espírito e Misericórdia em atos exteriores [Divina Misericórdia, Diário de Santa Faustina, Jesus Misericordioso}

Hoje me deparei por Mão Providencial com os parágrafos 1316 e 1317 do Diário de Santa Faustina. Interessante a menção que Jesus Misericordioso faz a duas formas de práticas misericordiosas, a Misericórdia em Espírito e a Misericórdia em atos concretos exteriores ou material propriamente dita.

Jesus Misericordioso

Vamos tentar entender o que o Senhor quer dizer com isso.

Nós praticamos Atos de Misericórdia quando realizamos algo material e efetivo em prol de alguém. Por exemplo, cientes de que uma determinada pessoa tem alguma forma de carência material – necessidades básicas essenciais, como comida, água, remédios, roupas, etc. -, nós efetuamos a doação do que é necessário/, dentro da nossa capacidade econômica, obviamente.

Entretanto, há situações que nada de material pode ser feito. É o que ocorre, por exemplo, quando tomamos conhecimento de que uma determinada pessoa está em estado grave no hospital. Não podemos ir até e salvá-la, isso cabe aos médicos, dentro do possível. Do mesmo modo, nenhum favor material, ainda que útil, poderá ser determinante para resolver a situação. É nesse momento que podemos praticar a Misericórdia em Espírito, que é muito efetiva e agradável a Deus.

Não podemos ir até o hospital e assumirmos os cuidados da pessoa, mas podemos rezar por ela. Quanto mais rezarmos, mais praticamos Atos de Misericórdia em espírito, e a Providência realizará a obra necessária, de acordo com a vontade do Pai.

É importante praticarmos muitos Atos de Misericórdia, de preferência todos dias e em prol de todas as pessoas que, de uma forma ou de outra, cruzarem nosso caminho. Esse trabalho deve ser anônimo, para evitar exposição exagerada do fiel. Em alguns casos, porém, pode-se revelar as iniciativas, quando, por exemplo, pedimos para um grupo de pessoas rezarem por alguém que está acamado ou correndo risco de morte.

Todos os dias ouvimos notícias ou recebemos informações que nos falam de sofrimentos e mortes. Isso não vem ao nosso conhecimento por acaso, mas como uma oportunidade de colocarmos em prática nossos Atos de Misericórdia em Espírito. Alguém está sofrendo com isso, e podemos rezar e interceder.

Vejam abaixo dois parágrafos do Diário de Santa Faustina:
“1316 (57) 01.10.1937. Filha, necessito de sacrifício repleto de amor, porque apenas este tem valor diante de Mim. Grandes são as dívidas contraídas pelo Mundo diante de Mim. Podem pagá-las as almas puras, pelo seu sacrifício, praticando a misericórdia em espírito – Compreendo as Vossas palavras, Senhor, e a extensão da misericórdia que deve brilhar em minha alma.”

“1317 Jesus: - Sei, Minha filha, que as compreendes e fazes tudo que está ao teu alcance, mas escreve-o para muitas almas que às vezes se preocupam por não possuírem bens materiais, para com elas [ou com eles] praticar a misericórdia. No entanto, tem um mérito muito maior a misericórdia do espírito, para a qual não é preciso autorização nem armazém e que é acessível a todos. Se a alma não praticar atos de misericórdia de um ou outro modo, não alcançará a Minha misericórdia no dia do Juízo. Oh! Se as almas soubessem armazenar os tesouros eternos, não seriam julgadas, antecipando o Meu julgamento com obras de misericórdia.”

Em alguns casos, as pessoas não têm condições econômicas de ajudar com bens materiais, e, nessa situação, também podem praticar a misericórdia em espírito, como orações, intercessão, conselhos.

Quando passamos em frente a um hospital, sabemos que ali há pessoas sofrendo. Não conhecemos essas pessoas, mas podemos rezar por elas enquanto passamos ou caminhamos pelas nas imediações do referido hospital. Veja que, enquanto caminhamos, podemos, mentalmente, recitar Ave-Marias pelos doentes, e pelos familiares e profissionais da saúde que os assistem.

Quando assistimos uma reportagem na televisão ou lemos uma notícia no jornal, a respeito de mortes trágicas ou situações sofridas, podemos rezar pelos familiares que estão em grande dor.

Quando passamos em frente ao cemitério ou lembramos de algum conhecido falecido, podemos recitar algumas orações por eles, ou mandar rezar missas.

Isso tudo são atos de Misericórdia e feliz que pratica muitos desses atos. 

Dessa forma, sabemos que precisaremos praticar em vida muitos atos de misericórdia, especialmente os atos de misericórdia em espírito.

Deus abençoe a todos. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este BLOG foi útil para você? Deixe seu testemunho! Sua opinião é muito importante para nós.