quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Libertação de Casais e do Alcoolismo - Por Padre Rufus Pereira.



Nós lemos em muitos lugares do Evangelho como o Senhor traz soluções para todo tipo de problema dos homens. Aqui mesmo no Brasil, lembro-me da primeira vez que vim e fiquei na casa de um dos líderes da Renovação Carismática Católica (RCC) e aconteceu de ele me contar que o filho dele estava perturbado e nunca saia do quarto. Não era uma razão tão severa como falei para vocês daquele jovem da Uganda.

Ele estava me falando que, imediatamente, depois de eu ter feito uma oração pelo seu filho, ele deixou de ficar sozinho dentro do quarto e passou a viver uma vida normal. Ou seja, mesmo nas pequenas coisas, o poder divino de Jesus, mesmo nos casos em que parece não haver nenhuma solução para a medicina. Apesar de todos os médicos serem de fato dons para nós, há muitas situações em que não há uma solução médica.

Há muitos dias atrás, um líder de grupo de oração em Bombaim me pediu para rezar por uma menina que estava havia três semanas na área psiquiátrica do hospital. Eu disse: "Se ela puder participar de um retiro conosco poderá ajudá-la bastante”. Para minha surpresa, ela veio me ver na manhã seguinte, num encontro, e me disse que havia sido enviada pelo coordenador do grupo de oração. Fiquei sabendo que aquele coordenador era tão zeloso, que foi até aquela clínica psiquiátrica e perguntou aos médicos se eles permitiriam que aquela moça fizesse um retiro de três dias. Os médicos disseram que se ela saísse, eles não a admitiriam novamente no hospital. A moça ouviu isso, tomou a decisão por ela mesma e foi ao retiro. Fiquei com raiva dela porque ela foi ao meu escritório e não ao local do retiro, que só começaria à noite, e ainda era de manhã, e ela havia se desligado do programa do hospital. Eu disse a ela que não me responsabilizaria por ela. O retiro começou à noite e vi que ela não estava. O coordenador me disse que eu a magoei tanto que ela não queria mais ir ao retiro. Eu disse a ele que eu precisava ter dito a ela aquilo porque ela não poderia ter se desligado do tratamento no hospital.

Duas semanas depois, uma jovem veio até mim na fila de confissão, e percebi que era a mesma jovem. Ela escreveu a confissão e disse: "Padre, eu te odeio porque o senhor me tratou muito mal. Eu não queria fazer qualquer retiro com o senhor e vim aqui por engano. Mas o que eu ouvi tocou tanto a minha vida que eu acredito que o Senhor quis que realmente eu viesse a esse retiro”.

Aquele retiro mudou tanto a vida dela que ela começou um grupo de oração dentro da casa dela. Até hoje ela continua evangelizando. Ela casou e eu fui o celebrante do casamento dela. Ela teve três filhos. Ela diz que o nome da família dela é "Jesus". J" é a primeira letra do nome do marido dela que é "John" (João). "E" é a letra do primeiro nome do filho dela. "S" é a primeira letra do nome da filha. "U" é do nome do terceiro filho. "S" é a primeira letra do nome dela.

Os médicos diziam que ela sempre precisaria de tratamento psiquiátrico e agora estava ali com a família, todos cheios do Espírito Santo. Quando se vai à casa dessa família, e eu fui lá, parece-se que está na casa de Jesus. E é assim que toda família cristã deve ser.

Um dos piores momentos que as famílias enfrentam são problemas muito comuns. Quando a filha parece estar apaixonada por uma pessoa que não parece ser muito boa, e a menina não consegue perceber isso de modo algum.

Uma família veio me ver. Eu conhecia o marido e a mulher muito bem. Eles haviam sido meus "pupilos" havia muito tempo. E eles me disseram:"Padre, ela está apaixonada por um rapaz que não é cristão, não é a pessoa certa para ela, é mau caráter e pertence a gangues. E acreditamos que ele tenha lançado certo tipo de magia nela". Eu perguntei a essa moça: "O que você gostaria de dizer?”. Ela disse: "Padre, eu o amo e vou me casar só se for com ele”. Eu disse a ela: "Vou dar um retiro para jovens na semana que vem. Você quer ir a este retiro?" Eu pensei que ela fosse dizer "não", mas eu estava rezando e para minha grande surpresa ela disse "sim".

No retiro, enquanto eu estava falando estava rezando por ela. Imediatamente, após essa palestra ela foi ao quarto de uma amiga, começou a chorar e disse: "Agora, meus olhos estão abertos. Eu não amo aquele rapaz". O feitiço que aquele rapaz tinha lançado sobre ela estava quebrado.

Mas ele não desistiu. Ele vinha para a casa de retiro todos os dias para se encontrar com ela. Mas a gente trancava as portas e ninguém conseguia sair ou entrar. Mas ele começou a ligar e ninguém atendia ao telefone. No final do retiro, eu a enviei para outra cidade para um grupo de oração que eu conhecia para que ela pudesse crescer espiritualmente e não ser ameaçada pelo rapaz. Hoje ela é uma evangelizadora de jovens.

O Senhor pode também trabalhar em outras áreas da nossa vida, nas quais a pessoa podia acreditar que nunca houvesse solução. Um dos maiores problemas no mundo é o alcoolismo. E pessoas vêm sempre para ver o que pode ser feito. E a maneira mais natural é rezar por elas, mas há também maneiras estranhas que o Senhor usa para curar.

Vocês querem conhecer duas maneiras estranhas? Desde que vocês não tentem fazer por vocês mesmos o que vou dizer.

Um dia, uma família de quatro irmãos veio me ver. Percebi que eles eram unidos e o um irmão veio do Golfo Pérsico, onde podia beber à vontade. Mas quando chegou em casa começou a beber às 5h da manhã até tarde da noite. Bebia até duas garrafas por dia. Então, eu perguntei e ele: "O que você gostaria que eu fizesse?" Ele me disse que queria um whisky da Escócia. Eu disse a um dos irmãos: "Pega esse copo e traz com água para mim”. O irmão que estava recebendo oração disse que eu estava errado. Eu disse: "Calma". Eu abençoei e dei a ele para que bebesse. Ele bebeu e pediu outro. Peguei outro copo, abençoei e dei a ele. Ele disse: "Nunca tomei um whisky tão bom". E aí eles voltaram para casa e nunca mais entraram em contato comigo. Tenho certeza de que nunca mais ele bebeu wisky depois disso. Muitas vezes, fico me perguntando o que pode ter acontecido. Talvez Deus tenha permitido que eu transformasse a água em whisky. Mas, na verdade, foi a água viva do Espírito Santo que ele bebeu.

O Senhor também pode usar outras maneiras para fazer incríveis milagres em nossas vidas. Sempre olho para meu relógio. Ele me lembra de algo que aconteceu há anos. Jesus está procurando toda brecha possível que Ele possa usar para trazer cura e libertação para nossa vida. Ele pode até usar o relógio. Na minha paróquia, o pior dos alcoólatras era um tipo bandido, de quem as pessoas tinham medo. Um dia, ele veio bem cedo e me pediu dinheiro para tomar bebida. Eu não lhe dei. No dia seguinte, ele retornou bem cedo e me fez uma pergunta estranha. Ele me perguntou: "Padre, o senhor tem relógio?" Eu disse que sim, olhei para meu braço e estava sem o relógio. Ele levantou a mão e me mostrou o relógio na mão. Ele me disse que o viu em cima de minha mesa e o roubou no dia anterior. Ele disse que saiu muito feliz, dizendo: "Agora, posso comprar bebida". Ele foi à melhor casa de bebidas de Bombaim. Ele bebeu, estava chegando o final da noite e o dono do bar perguntou sobre o dinheiro para ele pagar o que estava bebendo. Ele disse que tinha um relógio que pagaria tudo. Ele me disse que todas as vezes que ele tentava pegar o relógio no bolso dele uma mão invisível o impedia e uma voz dizia: "Vá devolver esse relógio ao padre Rufus".

Você pode dizer que ele estava alucinado porque estava bêbado. Não sei disso. Mas só sei que quando ele veio me devolver o relógio, contou-me que todos no bar começaram a ouvir a mesma voz: "Vá devolver esse relógio ao padre Rufus". O dono do bar disse: "Saia deste lugar. Queremos dormir e não conseguimos porque ficamos ouvindo essa voz". Jogaram-no para fora do bar.

Ele andou à noite inteira pala minha paróquia e veio de manhã cedo para meu escritório e me disse: "Padre, reze por mim. Eu quero parar de beber". O maior alcoólatra da paróquia parou de beber. Ele contou para o amigo que disse que também queria receber oração. Rezei. No outro dia, eles trouxeram mais dois. Eu disse para mim mesmo: "Se eles voltarem para a casa deles, eles serão tentados novamente". Tinha um quarto vazio na minha paróquia. Eu pedi ao padre que estava lá se eles poderiam ficar lá. O padre me disse: "Sim, mas é sua responsabilidade". Eu disse: "Não se preocupe".

Eu os coloquei lá, arranjei uns serviços para eles não ficarem desocupados e pedi a um padre que os ficasse observando. De repente, daqueles quatro o número foi para 30. A única paróquia do mundo que tem 30 alcoólatras numa casa.

Mais tarde, tive que deixar aquela paróquia. Aquele grupo cresceu e se tornou um dos maiores grupos de recuperação de alcoólatras do mundo. E tudo começou com o meu relógio.

Eu gostaria de dizer que por um outro lado pode haver coisas que possam nos machucar. Muitas vezes, sem pensar, nós podemos estar utilizando artigos para decoração que podem estar sendo usados para trazer o mal para nossa vida. Gostaria de dizer que há um objeto de decoração com um elefante e um ratinho que é bastante popular na Índia. Uma das minhas alunas na escola de catequese me disse que todos os dias via ratos roendo os pés dela. Eu disse a ela que não via rato algum, mas os colegas disseram que devia haver sim porque havia marcas dos dentes nos pés dela. Eu rezei por ela. Nada mudou. Mesmo que houvesse cortina, os ratos subiam e roíam seus pés. Ela veio uma terceira vez para ser atendida por mim. Eu perguntei ao Senhor o que fazer. Ela tinha um objeto no braço e eu perguntei: "Quem te deu?" Ela disse: "Não sei, padre". Eu fiquei com aquele objeto e daquele dia em diante não houve mais o problema. Aquele objeto, que ela usava nas mãos, tinha a forma da cabeça de dois elefantes, que é muito comumente usado no meu país. E é um símbolo de uma entidade indiana. Perto do elefante há um rato. O mal entrou na vida daquela moça através do objeto.

Muitas pessoas aqui no Brasil utilizam símbolos de outros países aqui. Essas coisas não são tão inocentes como vocês possam imaginar. Posso contar para vocês diversas histórias de diversos tipos.

"Não há outro nome pelo qual possamos ser salvos, a não ser pelo Nome de Jesus. Aqueles que clamarem pelo Nome de Jesus serão salvos".
 
 

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Entrevista da Canção Nova com Padre Rufus


"A cura interior é necessária para uma libertação efetiva e duradoura"

Durante sua passagem pela Canção Nova dos dias 12 a 17 de novembro – quando conduziu o Acampamento de Cura e Libertação – o sacerdote indiano e exorcista padre Rufus Pereira concedeu uma coletiva para as mídias do Sistema Canção Nova de Comunicação sobre a necessidade de cura e libertação das pessoas.

cancaonova.com: Qual a importância de trilhar um caminho de cura e libertação?

Padre Rufus: Como tenho escrito – com frequência em meus livros e nas pregações – existe algo que é negligenciado pelas pessoas até mesmo no ministério de libertação: depois que uma pessoa recebeu oração de libertação é preciso se certificar de que ela está liberta. Temos de nos certificar de que aquela pessoa vai manter a sua cura. O próprio Jesus nos alertou sobre isso, ou seja, que quando o espírito mau deixa a pessoa ele vai querer voltar. Orientamos a pessoa que recebeu a cura sobre a necessidade de passar mais tempo em oração, de ler a Bíblia e, especialmente, de se engajar numa boa comunidade paroquial que a ajude a trilhar um caminho com Deus. Dessa forma, ela vai manter a cura durante toda a sua vida.

cancaonova.com: Muitas pessoas deixam de receber oração de cura e libertação com medo de possíveis manifestações. O que dizer a essas pessoas?

Padre Rufus: A mesma coisa que Jesus disse a todos: "Não tenhais medo!". Eu posso testemunhar que eu era o rapaz mais tímido e medroso que já existiu e o Senhor escolheu a mim para fazer este trabalho perigoso e difícil. E eu digo às pessoas que essas coisas são apenas manifestações, nada vai acontecer com elas e com os demais. Nós dizemos nos encontros que elas podem vir tranquilas, pois nada vai lhes acontecer. Digo-lhes, então, a mesma coisa que Jesus: "Não tenhais medo!".

Cancaonova.com: Que influência existe entre as doenças psíquicas e a ação do demônio na vida das pessoas? Há relação entre ambas?

Padre Rufus: A relação existe e ela está tanto no problema quanto na solução. Com frequência, quando as pessoas têm ferimentos e mágoas profundas, isso pode abri-las aos ataques diabólicos. Da mesma maneira, quando ajudamos a pessoa a realizar uma cura emocional profunda, automaticamente as portas são fechadas para os ataques das forças malignas. Por isso eu sempre faço esta declaração quando dou formação para padres e pessoas desse ministério [cura e libertação]: que a cura interior é necessária para uma libertação efetiva e duradoura, da mesma forma que a libertação é necessária para uma cura interior efetiva e necessária.

"A cura interior é necessária para que haja a libertação"

cancaonova.com: Quais são as formas mais comuns de contaminação?

Padre Rufus: A comida e a bebida são as formas mais poderosas de ataques do inimigo de Deus nas pessoas, mas existem outras formas pelas quais nós podemos nos abrir à ação do demônio, especialmente os jovens que estão abertos a certos tipos de programas na internet e na televisão, além das músicas. Existem casos de jovens que acabaram quase que possessos simplesmente por ouvir músicas satânicas e há casos de pessoas que se contaminaram recebendo presentes de pessoas que se diziam amigas, até mesmo no dia do casamento. Muitas vezes, esses presentes são canais para que as pessoas sejam vítimas dos ataques das forças do mal, da mesma forma podemos dizer que marcas no corpo, como tatuagens, podem abrir as portas para o maligno; e até mesmo as imagens religiosas precisam ser abençoadas. No entanto, a forma mais comum de contaminação é quando as pessoas vão a lugares que aparentemente estariam fazendo o bem, mas que estão a serviço das forças do mal.

cancaonova.com: Existe uma forma de evitar essas contaminações? Qual a diferença entre uma contaminação e uma possessão?

Padre Rufus: A possessão acontece, mas é mais rara. Geralmente acontece quando a pessoa convida as forças do mal para possuí-la; pode acontecer quando a pessoa participa de rituais satânicos, infelizmente, não tão raros no Brasil. Pode acontecer quando a pessoa foi consagrada na sua concepção ou no seu nascimento e também pode acontecer quando a pessoa é levada, por engano, a frequentar locais onde cultos satânicos são realizados simuladamente. Como São Paulo diz na Bíblia, com frequência o demônio se apresenta como um anjo de luz e São João diz algo semelhante: que as forças do mal fazem isso para confundir os eleitos. Então nós temos que ser sábios e não tolos.

cancaonova.com: Em vindas anteriores ao Brasil, o senhor declarou que suas experiências de cura e libertação aqui eram também para fins de estudo. Quais são as conclusões que o senhor tem tirado desses estudos?

Padre Rufus: Na minha conclusão, depois de ter ajudado tantos casos e atendido tantas pessoas, vejo que do que mais o Brasil precisa (além é claro de uma boa base econômica – sei disso muito bem) é a libertação dos ataques demoníacos nos casamentos e famílias e a cura nos relacionamentos, nos matrimônios e nas famílias. Todas as vezes em que eu venho aqui tenho a esperança de que Jesus mude tudo; a gente sente a compaixão que Jesus sente por cada pessoa. Como eu disse, gostaria de rezar pessoalmente por cada uma das 200 mil pessoas que passaram por aqui e não pararia até saber que todas foram curadas, mas é uma questão de tempo, porque eu acredito que o Senhor fará todo o restante.




COMO OBTER GRANDES GRAÇAS DE DEUS.


Todos sabemos que Deus é bom, que é Pai, e que abençoa aqueles que ouvem sua Palavra e a põe em prática na vida do dia-a-dia. Isso está gravado no nosso coração, no nosso universo inconsciente. Mas porque temos tantas carências, e, por que, muitas vezes, não conseguimos crer que Deus pode nos ajudar ou resolver nossos problemas?

São muitos os fatores que nos impedem de dar resposta satisfatória.

Entretanto, é preciso deixar bem claro que quem quer receber favores de Deus precisa, antes de tudo, tomar consciência de alguns detalhes que, pela sua importância, são muito mais do que detalhes.

A partir da nossa experiência ao longo de 7 anos em grupo de oração, podemos estabelecer algumas situações que impedem a pessoa de ter acesso à graça de Deus.

Note-se que nada, absolutamente nada, pode deter o poder e tudo o que provém da Bondade Divina, porém, há situações em que nós nos colocamos distante dEle, nos afastando também da graça e de todos os seus benefícios. Portanto, assumir a posição e permanecer em pecado grave é uma OPÇÃO nossa, opção esta que nos torna incompatíveis com a graça de Deus.

Abaixo seguem algumas das conclusões amadurecidas ao longo do tempo, no gratificante trabalho no grupo de oração.

I- Para obter graças de Deus é preciso não estar em situação de pecado grave.

É preciso que se diga que o pecado é uma realidade, uma triste realidade. Todos temos inclinação ao pecado, todos sofremos o duro assédio das tentações, o que, aliás, chega a ser normal. Entretanto, não se pode ter gosto pelo pecado. Se o pecado parece saboroso aos seus sentidos, é sinal de alerta, de perigo. É preciso renunciar a estas situações. Lembre-se que o Senhor disse “quem quiser salvar sua vida, vai perdê-la, mas que perde a vida por causa de mim, vai encontrá-la” (Mat. 16:25). Tal passagem significa que o cristão tem de saber abrir mão de tudo aquilo que se opõe à Vontade Divina, renunciar às situações de pecado, por amor a Deus e ao Reino dos Céus. O pecado grave é um grande bloqueador de graças, por isso, precisa ser evitado a todo custo.

Entretanto, caso você esteja nesta situação, se a sua consciência o acusa ou perturba, não deixa  de recorrer ao insondável manancial da misericórdia de Deus, pois não há pecado, por maior e mais grave que seja, que seja maior que a INCONCEBÍVEL MISERICÓRDIA DE NOSSO SENHOR. Procure um padre, confesse os pecados, sem medo ou vergonha. Saiba que o próprio Cristo concedeu tal autoridade à Igreja, quando afirmou: “Recebam o Espírito Santo. Os pecados daqueles que vocês perdoarem, serão perdoados. Os pecados daqueles que vocês não perdoarem não serão perdoados” (João 20: 22-23).

Cada pessoa deve ter seu padre confessor, assim como tem seu médico de confiança. 

A maior parte dos médicos são bons, mas nem todos são da nossa confiança. O mesmo se pode dizer em relação aos padres, entre os quais temos de escolher um de nossa confiança, o nosso padre confessor.

Além disso, seja bem intencionado em tudo, em todas as ocasiões. Em hipótese alguma aja com falsidade ou recorrendo à fraude, à violência, à injustiça ou à desonestidade.

É melhor não ter nada, do que possuir muitas coisas provindas de fonte mal havida.

É melhor não ter palavras, do que usá-las como meio de ofensa ou maledicência às outras pessoas.

II- Converta-se:

É fundamental a intenção de converter-se; romper com o passado, e assumir novo estilo de vida. É importante dizer que todos nós precisamos de conversão. A conversão não acontece uma vez só na vida, é preciso ser melhor a cada dia. O meu amanhã precisa ser melhor que o meu hoje. Precisamos evoluir no Espírito, sempre, sem cessar. Ninguém é convertido, todos estamos em conversão.

Além disso, é fundamental uma contínua vigilância sobre o próprio comportamento e conduta, arrancando as ervas daninhas do pecado antes que criem raízes, pois se deixá-las enraizar vai ser mais difícil e mais sofrível arrancá-las.

III- Peça! Peça muito!! Peça com confiança!!!

“Peçam, e lhes será dado! Procurem, e encontrarão! Batam e abrirão a porta para vocês! Pois todo aquele que pede recebe; quem procura, acha; e a quem bate, a porta será aberta. Quem de vocês dá ao filho uma pedra, quando ele lhe perde um pão? Ou lhe dá uma cobra quando ele pede um peixe? Se vocês, que são maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos, quando mais o Pai de vocês que está no céu dará coisas boas aos que lhe pedirem” (Mat. 7: 7-11).

É o próprio Cristo que ensina pedir. Portanto, PEÇA!

Mas preciso lhes compartilhar um pequeno detalhe. Além de pedir é preciso saber esperar, esperar o tempo que for preciso. Lembram de quanto tempo Santa Mônica teve de rezar para obter de Deus a graça da conversão de seu filho Santo Agostinho? Há quem diga 16, outros 20, e até quem fale em 30 ANOS. Não se sabe ao certo, de qualquer forma, é muito tempo.

É preciso ter em mente que o tempo de Deus é diferente do nosso. Deus não é caixa eletrônico, não é só apertar os botões e o resultado aparece. Além disso, Deus não é um quebra-galho, que só lembramos quando precisamos de algo.

Lembram o memorável Carlos Drummond de Andrade? “Meu Deus, só me lembro de vós para pedir”, do poema “Prece do Brasileiro”?

Entre nós não pode ser assim. Coloque Deus em primeiro lugar, e tudo o que você precisa lhe será dado em acréscimo (Mat. 6: 32).

É preciso pedir. Pedir com insistência. Reiterar. Pedir de novo, de novo, até receber o que se pede.

Lembram da parábola do juiz injusto (Lucas 18: 2-8)? Aquele juiz que não temia a Deus e que se recusava a fazer justiça a uma pobre viúva, mas que acabou cedendo aos apelos da mulher em razão de sua insistência.

Ora, se um juiz injusto e iníquo é capaz disso, o que se dirá do JUIZ JUSTO, o DEUS TODO-PODEROSO?

Portanto, peça, mas peça com insistência!!!

Outro ponto importante é que durante a sua espera não deve procurar ajuda de outros deuses (seitas, sortistas, advinhos, enfim, àqueles que manipulam forças ocultas, evocam espíritos e coisas do gênero...).

Todo o respeito às outras religiões, mas Deus é um só, o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, primeira pessoa da Santíssima Trindade.

Durante a espera, “aceite tudo o que te acontecer, e seja paciente nas situações dolorosas, porque o ouro é provado no fogo e as pessoas escolhidas, no forno da humilhação. Confie no Senhor e Ele o ajudará; seja reto o seu caminho, e espere no Senhor.” (Eclesiástico 2: 4-6).

Sobretudo, tenha uma grande certeza: “Quem confiou no Senhor e ficou desiludido? Quem perseverou no seu temor, e foi abandonado? Quem invocou e não foi atendido? Porque o Senhor é compassivo e misericordioso, perdoa os pecados e salva no tempo do perigo.” (Eclesiástico 2: 10-11).

Não será você a primeira pessoa na história da humanidade a ser esquecida por Deus, de jeito nenhum!!!

Do mesmo modo, deve-se rezar com CONFIANÇA, conforme ensinamento contido na Espístola de São Tiago:



"...Mas peça com fé, sem nenhuma vacilação, porque o homem que vacila assemelha-se à onda do mar, levantada pelo vento e agitada de um lado para o outro. Não pense, portanto, tal homem que alcançará alguma coisa do Senhor, pois é um homem irresoluto, inconstante em todo o seu proceder..." (Capítulo 1, versículos 6 a 8) 

IV- Orar com Inteligência e Imaginação:

Outra dica importante para quem quer receber graças de Deus, é a de SER AGRADECIDO (A) sempre, ainda que as coisas não saiam do jeito que você inicialmente quer. E quando você rezar, reze com inteligência, meditando o significado de cada palavra, e imaginando a graça de Deus acontecendo em sua vida.

É!!! É isso mesmo!!! Peça e imagine a graça acontecendo!!! 

Mentalize o que quer receber, cada vez mais alimentando a confiança. “A alma que muito confia, muito alcança.” (Santa Faustina Kowalska).

Também peço a você que não recite as orações de modo mecânico, sem vida e sem devoção. “Quem reza de qualquer jeito, vira qualquer coisa”.

V- Será que o você pede é Bom para Você?

A dúvida a este respeito não deve impedi-lo nem fazê-lo desanimar. Se o que você pede não for bom (ainda que inicialmente o pareça), Deus dará a você algo muito melhor, pois sabe muito bem “dar coisas boas a quem pede”.

Portanto, joelhos no chão e preces aos céus.

Há um universo de graças esperando por você, pois “o que os olhos não viram, os ouvidos não ouviram e o coração do homem não percebeu, foi isso que Deus preparou para aqueles que o amam” (Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios; 2: 9).

“Nec oculus vidit, nec auris audivit, nec in cor hominis ascendit”

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Padre Rufus Ensina: "Como rezar por Libertação!"



O que precisamos fazer na oração de libertação? Precisamos de algo sistemático. Você não pode rezar de qualquer maneira. Jesus ensina como rezar no Evangelho de São Lucas 11,5 “Pedi e recebereis”. Peça uma vez e receberás. Deus não é surdo e Ele nos ama. A oração sempre é respondida porque Deus é nosso Papai.

Como devemos rezar por libertação?

I- Primeiro é preciso saber quais as áreas que estão sobre ataque do demônio. E a primeira área de nossa vida que pode estar sobre ataque do demônio é nossa (1) vontade, pois ela é o maior presente de Deus para nós, Ele respeita nossa liberdade que deve ser usada para o bem e não para nós mesmos e nem para o inimigo.

Qual foi a oração de Jesus quando o demônio estava tentando-o para não caminhar para a crucifixão? “Não seja feita a minha vontade, mas a vontade do Pai.” Quando Jesus nos ensinou a rezar o que Ele disse? “Pai, seja feita a Sua vontade aqui na terra como no céu”. O inimigo quer atacar a vontade, é o que chamamos de atos compulsivos de pecados: drogas, sexo, abuso de crianças... Precisamos rezar como Maria: “Senhor, seja feito a Sua vontade”.

O inimigo pode atacar as nossas (2) mentes com o que chamamos de seitas. E uma vez que um jovem se encontra com essas seitas, é difícil retirá-lo.

O inimigo pode atacar nossas (3) emoções com medos, invejas, tendências suicidas. Que suas emoções não estejam abertas para que o inimigo entre em sua vida. Por exemplo, inveja entre amigos, ciúmes entre profissionais, e tudo mais, principalmente tendências suicidas, isso é trabalho de satanás.

O inimigo pode também atacar nosso (4) corpo. A maioria dos casos que atendi aqui no Brasil principalmente nesses três dias, são casos em que as pessoas disseram que os médicos não puderam curar e nem sabem o que é a doença. O inimigo pode trazer doenças que não tem explicação humana, pessoas que tem dor no corpo inteiro.

Ele quer atacar nossas (5) propriedades, casas, veículos, quarto. Ele ataca principalmente os que são as lideranças do nosso país e na Igreja. Quer atacar o Papa, bispos, padres. O demônio quer atacar os relacionamentos matrimoniais, relacionamentos de família, pais e filhos, e entre irmãos.

Tudo isso é muito importante saber, temos que ser específicos. Eu preciso saber a fonte daquele ataque, e a primeira fonte é a árvore genealógica. Talvez alguns de meus ancestrais foram envolvidos com práticas ocultas, por isso a Igreja nos leva a rezar em cada Missa por aqueles que morreram.

II- Segundo:

"A segunda fonte pelo qual o mal pode nos atacar é nossa própria família"

Outra fonte de ataque pode ser nossos parentes, vizinhos, por causa de inveja e ciúmes.

Estava dando um retiro no Sul da Índia para padres e leigos, e no último dia um homem veio com seu filho que parecia ter uns 15 anos. O seu filho mais velho quando tinha 10 anos fugiu de casa e eles não o encontraram e depois de cinco anos ele voltou, e no outro dia tomou remédio de matar barata e morreu. O segundo filho quando fez 10 anos fugiu de casa e depois de cinco anos voltou e no dia seguinte tomou o mesmo veneno que o irmão. O terceiro filho quando atingiu a mesma idade de 10 anos fugiu de casa e voltou depois de 5 anos, mas a família sabendo do que já tinha acontecido, observava o filho todos os dias. Então o pai trouxe até mim aquele filho que parecia bom menino. Eu perguntei para ele se ele queria se matar, e ele disse que não. Mas que, alguma coisa estava o empurrando para que ele se matasse. E olhando em seus olhos eu sabia o que era; disse ao pai que passaria em sua casa no outro dia. Quando sair do retiro me deram uma carona e eu fui levado no carro com pessoas bem fortes que estavam também fazendo retiro. O pai dizia que achava que era a mulher de seu irmão mais velho, que tinha colocado essa maldição para destruir a família por causa de propriedade. Eu disse ao homem que poderia ser ou não verdade, mas que ele precisa perdoar sua cunhada. E fomos rezar juntos na sala da casa. Depois de um pouco de oração, eu perguntei se estavam sentindo alguma coisa. O rapaz disse que estava sentindo muita dor no corpo. Pedi para que as mulheres saíssem da sala e fechei todas as portas e janelas. Eu fui por trás do garoto e impus minhas mãos sobre ele, e imediatamente ele foi lançado no chão, e o poder do mal era tão forte que todos os homens precisavam segurá-lo. Ele disse que estava bem, mas quando o soltaram ele correu para se jogar num poço, os homens o seguraram e eu pedi para não soltá-lo. E quando Deus disse que estava tudo certo eu pedi para soltá-lo. Enquanto os homens estavam suados de segurá-lo, o pai estava ajoelhado rezando e chorando, e eu disse ao pai: “quero que você peça perdão ao seu filho. Mesmo sabendo que o demônio é o culpado e que sua cunhada tenha colocado a maldição, peça perdão ao seu filho”. Quando aquele homem olhava para o filho e dizia me perdoa filho, o demônio respondia cala boca. E eu disse ao pai: “é uma luta entre você e o demônio pela vida de seu filho”. E foi esse amor humilhante do pai, que quebrou o poder de satanás.

A segunda fonte pelo qual o mal pode nos atacar é nossa própria família por causa de inveja e dos bons casamentos, ou ciúmes por causa da situação financeira, ou somente por raiva.

A terceira fonte sou eu mesmo, não culpe somente os membros de sua família. Se eu fui a qualquer um que não seja Jesus e me abri ao poder do mal, a culpa é minha. Se me expus a práticas ocultas, aos líderes de espíritos, aqueles que prometem trabalho não em nome de Jesus, então estou me expondo ao poder de satanás e que segue até a quarta geração. Esta é a principal fonte do mal, eu mesmo.

III- Terceiro: Em terceiro lugar, eu preciso saber quais são os meios de comunicação que me atingem com o mal. E o demônio vai usar todo meio de comunicação para destruir você, músicas, presentes e até mesmo objetos religiosos. Ele nunca dorme, nunca se cansa. Nós dormimos, nos cansamos, por isso somos atacados. Ele pode usar comida e bebida para nos atacar.

O inimigo pode usar também a música, rock pesado, música satânica. Eu vi a juventude ser possuída quando estava ouvindo uma música satânica. A pessoa pode ser possuída vendo alguns programas na internet e também na TV. Em alguns países da Europa eu vi que só colocam joguinhos tolos para as crianças, desenhos violentos, sexo e nada para a família. Por isso devemos agradecer a Deus pelas TV's católicas do mundo, especialmente a Canção Nova. Por isso eu agradeço a Deus por pessoas como Monsenhor Jonas, Eto [Welinton Jardim], Luzia [Santiago] e outros líderes. Muito mais ainda precisa ser feito no Brasil, muito já foi feito, mas muito mais precisa ser feito.

O inimigo pode usar o telefone com chamadas mudas, onde do outro lado a pessoas podem estar colocando uma maldição, e até por e-mails.

Ele pode usar presentes. Tenha cuidado com presentes que recebe e de quem recebe, principalmente presentes de casamento. Eu estava rezando por um jovem que eu conhecia, era recém-casado, logo após o casamento foram para a lua de mel, e quando voltaram para Bombain ele me ligou e foi se encontrar comigo. Ele me disse que os primeiros dias da lua de mel foram lindos, mas depois de alguns dias, não conseguiam ter um relacionamento sexual certo e estavam muito tristes. Eu fiz uma oração, e a jovem estava me dizendo que ela já tinha se apaixonado por outro jovem, mas ela descobriu que ele não era bom e cortou o relacionamento, e que o homem disse que queria vê-la casar, mesmo como outro. Então ela o convidou para seu casamento. Seu esposo, disse que no dia casamento abriram os presentes e tinha um presente desse rapaz do último relacionamento. E sabe o que tinha naquele presente? Era uma roupa íntima suja, e com frequência roupa íntima suja é usada para maldição, e tinha também preservativos. A gente não queria ter filhos, disse o jovem, e usei os preservativos que tinha e quando acabou me lembrei dos preservativos que tinha no presente e usei, e a partir daquele dia não conseguimos ter relação sexual. Então o que eu fiz? Abençoei os presentes pedindo ao Senhor para destruir o mal e rezei pelo casal. No outro dia ele me ligou e disse: “padre, continuamos nossa lua de mel, tudo está perfeito”.

O inimigo pode usar objetos religiosos colocando força maligna neles, eu não acreditaria nisso, se eu mesmo não tivesse visto. Havia uma família em Bombain muito próxima a mim. A mãe da família me ajudava a rezar por libertação e o filho mais jovem era também meu assistente. Eles tinham um grupo de oração em casa. Um dia, esse jovem acabou me dizendo: “padre tenho vergonha de lhe dizer, mas nos últimos nove meses tenho dificuldade de rezar e ficar em casa, prefiro ficar fora. Na nossa casa não tem mais amor e partilha. O senhor poderia rezar uma Missa pela cura da nossa família?” Eu rezei a Missa pela cura da família. Depois da Missa trouxeram uma estátua do Sagrado Coração de Jesus, muito linda, muito cara. Eu abençoei a estátua e rezei, e enquanto estava fazendo isso, a esposa do irmão mais velho, que era filipina, caiu no chão e começou a falar possessa pelo demônio, que usava a voz da esposa de um casal amigo deles, que era sócio na imprensa era um casal hindu. E quando eu abençoava a voz era da esposa do sócio, e ela começou a falar a língua que ela não conhecia e começou a dizer em hindu: “eu dei essa estátua para essa família e coloquei maldição para destruir essa família porque são casais amados, enquanto meu casamento é tão ruim, são tão ricos e nós temos todo tipo de problemas. Coloquei uma maldição nessa imagem caríssima para destruí-los”. O demônio usa até de objetos sagrados. Quando ela voltou a consciência não sabia o que estava acontecendo e não contei para ela. Eu disse para essa família que estátua tinha que sair da casa naquela noite, que não poderiam mantê-la nem por mais um dia. Eles pegaram dois martelos quebraram a estátua em vários pedaços e jogaram no mar e continuaram a fazer o lindo trabalho no ministério.

Conclusão: sempre abençoe os objetos religiosos, mesmo coisas trazidas de lojas. Você tem certeza que não foi amaldiçoado? O inimigo é esperto, usa de tudo para destruir a Igreja e as famílias católicas, tenha tudo abençoado em sua casa.

Somente quando sei as causas das aflições demoníacas, os meios que usa para contaminar-me é que eu posso rezar. Simplesmente fazer o sinal da cruz pode ser uma oração poderosa de libertação, rezando o Pai-Nosso. Mas na Renovação Carismática Católica (RCC) vemos o poder de rezar em línguas para libertação de alguém. Rezo em línguas porque o Espírito Santo sabe os problemas das pessoas. João diz em sua carta: que o mundo está sob o poder de satanás, essa é uma má notícia, mas quero terminar com uma boa notícia, Jesus diz: “não tenhais medo, porque eu venci o mundo”.

Temos um Deus por Nós, Conosco e em Nós - Por Padre Rufus Pereira.




Queridos irmãos no Senhor Jesus, quando ouvimos as leituras da Eucaristia desse domingo, o que vem ao meu coração é que o Senhor quer mostrar seu amor para nós de forma muito profunda.

Em Atos dos Apóstolos 10,38, São Pedro diz: “Deus Pai encheu Jesus do Espírito Santo”. E que bem Jesus fez, curando todos aqueles que estavam sob o poder de satanás.

"Meu nome favorito para Deus Pai é: Deus é por nós! “Se Deus é por nós quem será contra nós?” (Romanos 8,31)"

Meu nome favorito para Jesus, é o nome que o anjo revelou a José, e que o evangelista Mateus cita em seu Evangelho: Emanuel, que significa: Deus conosco. E Jesus confirma isso em Mateus 28,20: “Eu estarei convosco sempre, até o final dos tempos!”

Jesus disse que o Espírito Santo não estaria com eles como Ele [Jesus] estava, mas estaria neles. Então, meu nome favorito para o Espírito Santo é: Deus em nós.

Portanto, temos um Deus sempre por nós, um Deus conosco e um Deus sempre em nós. O sinal que Deus deu a Igreja foi o ministério da cura interior e da libertação, porque Ele é um Deus por nós, conosco e em nós.

É com frequência que os jovens querem preencher o vácuo espiritual e emocional dentro deles. Na minha experiência tratando com dependentes químicos na Índia, acredito que os jovens não são viciados porque querem, mas porque tem um sentimento tão profundo de inferioridade, que se afundam nas drogas afim de serem alguém. É por causa da pressão, porque querem fazer o que seus 'supostos' amigos fazem, por isso eles precisam também de libertação. Com dependentes químicos é preciso oração dupla de cura interior e de libertação.

Com tudo isso quero falar do Deus da Misericórdia, de Jesus o Filho da Misericórdia e Maria a Mãe da Misericórdia, porque com a misericórdia podemos ser instrumentos efetivos da cura interior e da libertação, ela sempre será a vontade Deus.

"Maria vem nos trazer Jesus e nos dizer: 'Fazei tudo o que Ele vos disser!'"

Em 1997, o ano de Jesus Cristo, havia uma peregrinação da Renovação Carismática para a Terra Santa, 2 mil carismáticos do mundo inteiro foram. Começamos no Mar da Galileia, onde me pediram para conduzir uma oração de cura, logo após o presidente da RCC do Haiti me convidou para que eu fosse para seu país numa Convenção Carismática, não para pregar, mas para fazer uma oração de cura pela terra, pelo povo e pela Igreja do Haiti.

Era abril de 98, sábado, no monte mais alto do Haiti. Comecei a oração de cura, havia 60 mil pessoas, a maioria jovens e crianças sentadas na grama, e Jesus Sacramentado num ostensório grande que nunca tinha visto, foi trazido para o meio daquela multidão e colocado também num grande altar no palco.

Num certo momento, pedi que tocassem o solo com braço direito e, com o esquerdo estendido para o céu, consagrássemos a Deus aquela terra que estava desconsagrada por tantas práticas satânicas. De repente vi algo acontecendo, as pessoas no gramado não olhando para o ostensório, mas para uma árvore, onde viram uma luz, onde apareceu Maria. Não acreditava muito em aparições, mas eu a vi.

Não havia 6 e nem 60 pessoas, mas 60 mil pessoas vendo aquela aparição. Nisso o presidente da RCC, trouxe uma senhora no palco que trazia seu filho que nascera cego, e que na aparição foi curado, pois ele havia dito: Mãe, ali está Maria!

Quando a criança subiu no palco e me viu, levantou as mãos e olhou direto para mim, assim eu soube que o Senhor, através de Maria, havia curado sua cegueira.

No dia seguinte, domingo, último dia daquela Convenção Carismática, não passou 15 minutos da minha palestra e as pessoas olharam para a direita, na árvore, e o presidente me disse: 'Padre sinto muito, mas Maria está aparecendo de novo!'

Maria deveria aparecer só no sábado que é o dia dela, não domingo, que é o dia do Senhor, dia de seu Filho Jesus Cristo. Mas o presidente sussurrou para mim: 'O senhor esqueceu que hoje é o Domingo da Divina Misericórdia?'

Maria a Mãe da Misericórdia tinha vindo pra ser canal da Misericórdia do povo daquela terra, Ela é a mãe da misericórdia. Maria esta aparecendo em muitos lugares no mundo para dizer a mesma coisa que ela disse no casamento nas bodas de Caná: “Fazei tudo o que Ele vos disser.” (João 2,5)

Ela estava fazendo o que fez na Biblia. Maria vem nos trazer Jesus e nos dizer: “Fazei tudo o que Ele vos disser!” Amém!"

"Quer Você Queira ou Não, o Demônio Existe" - Por Padre Rufus Pereira.




Eu quero começar esta pregação dando um exemplo de como rezar para cura e libertação. A oração não funciona como uma mágica. Na Bíblia, estão as regras para nós, [a respeito] de como rezar. Todos os domingos eu conduzo orações de cura na minha paróquia em Bombaim (Índia). Houve uma jovem que veio para receber oração. Ela veio com seu bebê e sua sogra. Quando perguntei o que ela queria, ela disse que estava com dor de cabeça. Mesmo quando a pessoa diz que tem uma dor de cabeça, eu sei que isso não é o problema; mas, sim, um sintoma de um problema maior.

Eu coloquei às minhas mãos na cabeça dela e ela se jogou no chão com força. Quando olhei para os seus olhos, vi Satanás. Antes mesmo que eu pudesse rezar, ela começou a falar. Ou melhor, não ela, mas o demônio. Eu nuca falo muito com o demônio, mas ele gosta de falar comigo porque ele gosta de mim. E, então, pela força do Espírito Santo, o demônio foi obrigado a me dizer porque entrou naquela pessoa.

Ele me disse que aquela jovem tinha perdido a sua mãe quando tinha dez, onze anos. Ela estudava em uma escola e não se misturava com as pessoas. Durante o intervalo, ela ia para um lugar à parte na escola, uma espécie de santuário. O inimigo me disse que ela o visitava todos os dias buscando paz e, por isso, ele entrou nela.

Milhares de jovens da América e da Europa vêm ao meu país toda semana. Se você perguntar a eles o por quê disso, a reposta é quase sempre a mesma: eles dizem que foram buscar paz. Algo que a riqueza da América e da Europa não podem dar. O problema é que tipo de paz eles buscam. Jesus mesmo disse: “Eu lhes dou a paz que o mundo não pode dar”, ou seja, a paz que o demônio não pode dar. São Paulo diz que Jesus mesmo é a paz.

Voltando a falar do caso, quando ela acordou eu perguntei se tinha amizade com as outras meninas na escola. E ela disse que não porque quiz ficar sozinha depois da morte da sua mãe. Ela me contou que, naquela espécie de santuário que frequentava, ficava olhando um guro [ou guru] e sentia uma grande paz. Ele dava coisas para ela comer e beber, e ela comia e bebia. Ali estava a causa.

Ela tinha sido curada, mas ainda precisava de libertação. É isso que eu digo a todos que tem casos mais difíceis, como aqueles de ontem (na adoração). Depois de curado, a pessoa precisa fazer um bom evento de cura interior o quanto antes para se libertar.

Felizmente para aquela jovem, eu ia dar um e ela foi participar. Durante a adoração ao Santíssimo, eu disse para aqueles que precisavam de oração para se dirigir à frente que eu iria rezar. A primeira pessoa que veio para ajoelhar-se foi essa jovem. Quando a vi, fiquei um pouco preocupado porque a manifestação ia acontecer e as pessoas iam ficar com medo. Quando cheguei perto dela, pulei-a para não intimidar as outras pessoas. E, no final, quando ela estava sozinha, fui rezar. Eu percebi que quando ela estava diante de Jesus Eucarístico olhava para Ele sem piscar.

"Quer você queira ou não, a verdade é que o demônio existe!"

Cheguei perto dela e impus as minhas mãos; nada aconteceu. Para minha surpresa, somente participando do retiro e estando diante do Santíssimo Sacramento ela foi totalmente liberta. E por que ela foi curada? Porque, como eu mencionei na minha primeira pregação, há duas dimensões para a oração: precisamos rezar sozinhos na presença de Deus e precisamos rezar uns pelos outros. E o Senhor me mostrou nesse lindo caso essas duas dimensões da oração.

O principal problema daquela jovem era a morte de sua mãe. Com frequência, a maior dor das pessoas são as perdas. A sua mãe morreu inesperadamente, assassinada pelo pai que era alcoólatra. Mas não é só isso. Tudo aconteceu na frente daquela criança. Isso é muito doloroso! O pai foi preso e ela acabou perdendo a mãe e o pai. Como eu já disse nas outras pregações, toda criança precisa da sua mãe e do seu pai. Hoje, todas às vezes que eu dou um retiro lá na Índia ela tenta participar para dar o seu testemunho.

Depois dessa introdução, quero falar sobre a necessidade não somente de cura interior, mas também de libertação. Por que todos nós precisamos de libertação? Porque, como diz na Bíblia, temos três fontes do mal nas nossas vidas. A primeira fonte somos nós mesmos. Se eu pequei preciso me arrepender, não posso culpar as outras pessoas. Preciso refletir sobre como começou aquele pecado. Para curar isso precisamos reatar nosso relacionamento quebrado com Deus. Isso só acontece quando nos arrependemos, daí eu experimento o lindo amor do Pai que nos perdoa.

A segunda fonte do mal são os pecados da nossa família e daqueles que estão próximos de nós. Eles nos ferem com inveja, ciúmes. Os casos que eu vi ontem aqui não foram causados pelas pessoas, nem pelos demônios, mas por aqueles que estavam ao redor delas. Por isso, precisamos não somente de perdão, mas também de cura emocional.

A terceira fonte é a força do mal que nos cerca. Essa, inclusive, pode ser a maior fonte dos nossos problemas. Nós não estamos lidando com inimigos de carne e osso, não é minha sogra, meu vizinho, o Hitler... Estamos lutando com os poderes e principados, os exércitos espirituais que estão nos ares! Estamos numa batalha espiritual, porque nosso inimigo de verdade é espiritual.

Àqueles que não acreditam na existência do demônio é porque nunca leram a Bíblia em suas vidas. Estou dando essa má notícia: quer você goste ou não, a verdade é que o demônio existe. Existe um mal que é um inimigo pessoal. E como eu sei disso? Porque está na Bíblia!

Em uma audiência em 1972, o Papa Paulo VI disse que a maior necessidade da Igreja, hoje, é saber como se proteger, como se defender, contra o demônio. Eu creio que o demônio existe, nem tanto porque está na Bíblia ou porque a Igreja ensina, mas por causa do meu ministério pastoral de cura e libertação. Eu me encontro com casos que não há explicação humana. Nós não temos nem explicação espiritual, exceto o fato que o demônio está trabalhando naquilo.

Eis uma Palavra que vocês não devem esquecer e que está João 10, 10: “O ladrão não vem senão para furtar, matar e destruir. Eu vim para que as ovelhas tenham vida e para que a tenham em abundância”. Qual líder religioso pode ousar a dizer uma coisa como essa? Somente Jesus tem esse poder!

"Todos os dias, à noite, devemos pedir perdão a Deus se caímos na tentação e cometemos o pecado"

O demônio existe e podem haver dois extremos: aqueles que acreditam que ele não existe, e também aqueles que dão atenção demais a ele, vendo-o em toda a parte ou tendo medo dele. A atitude correta é aquela do equilíbrio, no meio, que deve evitar ambos os extremos. São Pedro nos ensina que temos somente um inimigo, e ele é o demônio; que nos cerca como um leão, buscando a quem possa devorar. Mas, ele mesmo diz, para que não tenhamos medo, apenas sejamos vigilantes. Mantenham os olhos abertos, estejam preparados, e, então, nada de mal vai acontecer.

O demônio pode nos atingir de três maneiras: pela tentação, pela possessão e pela opressão. A tentação significa que o demônio nos atrai para coisas que normalmente não faríamos. Por que Deus permite que eu seja tentado? Os nossos primeiros pais foram tentados, Jesus foi tentado, Deus não vai permitir que sejamos tentados além de nossas possibilidades, além de nossas forças. E o mais lindo e importante é que o Senhor vai nos dar toda a força que precisarmos para resistir a tentação.

Todos os dias à noite, nós devemos pedir perdão a Deus se caímos na tentação e cometemos o pecado. Precisamos sempre terminar o nosso dia com um ato de contrição, de arrependimento; e começar o outro dia com uma oração, pedindo para não sucumbir às tentações.

Possessão não significa que o demônio está tentando a pessoa de longe, mas de muito perto, ele entra dentro da pessoa. Esse é o outro extremo. Isso não é tão comum, e somente um sacerdote como um título de exorcista pode proceder um verdadeiro exorcismo. Devemos rezar em silêncio por essas pessoas para que elas possam ser libertas.

Havia uma jovem que eu conhecia do centro da Índia, ela pertencia a uma família que estava toda envolvida com práticas ocultas. Depois de um retiro, essa família começou a melhorar e buscaram ser católicos. Um tempo depois, a mãe dela foi me procurar dizendo que a filha estava possuída. Pensei: Como isso pode acontecer se eles tinham mudado de vida?

A mãe, então, me contou que a filha queria dinheiro para ir ao cinema e ela disse que não daria para ver aquele filme. A filha com raiva disse que se ela não desse, ia pedir para Satanás dar. A mãe pensou que era brincadeira e disse para ela pedir, então. Satanás nunca entra em uma pessoa sem que ela dê a permissão para que ele entre. Direta ou diretamente a gente o convida para entrar.

E como a gente sabe que a pessoa está possuída? Quando ela tem uma força sobre-humana, como os casos que tenho visto esses anos na Canção Nova; quando a pessoa fala uma língua que não conhece; e quando ela sabe de coisas que nunca teria como saber. No meio desses dois extremos (a tentação e a possessão), ainda existe a opressão. Nesse caso, o demônio não está longe nem dentro, mas muito perto.

Certa vez uma jovem veio me ver, parecia bastante perturbada. Eu disse que estava com pressa e perguntei o que ela precisava. A jovem disse que estava grávida de oito meses e nos últimos três dias não sentia o bebê se mexer. Ela foi aos melhores genecologistas de Bombaim e eles disseram que o bebê estava morto. Eu ainda me lembro dos seus olhos com lágrimas de esperança. Ela olhou para mim e clamou que queria aquele filho. Eu nunca vou me esquecer desse caso.

Pedi que ela permanecesse sentada e comecei a rezar. Pedi: “Senhor Jesus, quando estava ainda no ventre de Maria você trouxe cura para o seu primo São João, que também estava no ventre de sua mãe, Isabel. Traga a mesma cura para o ventre dessa mulher”. Logo que terminei, a mulher gritou: “Padre, o bebe está se movendo!”

Eu disse para ela não se levantar, eu tinha que sair e pedi para ela continuar rezando até que o bebê começasse a pular dentro dela, cheia do Espírito Santo. Quando eu estava saindo, ela me disse que, enquanto eu rezava, ela sentia um espírito de morte deixando o seu ventre, saindo pelas suas pernas. Talvez um membro da família tenha colocado maldição nela por inveja. Ela ainda me disse que sabia que seu filho estava morto, e me agradeceu por ser fonte de graça para que ele ressuscitasse. Amém!"

Levantando os Mortos para a Vida - Por Padre Rufus Pereira.



Por uma linda coincidência, o Evangelho de hoje, o último de 4 dias de encontro, é um dos meus versículos favoritos. Quando as pessoas vinham até Jesus, elas estavam sendo trazidas por seus familiares, vinham por si mesmas, ou Jesus os via no meio da multidão.

Mas em alguns momentos, Jesus não curou por algumas destas ações acima. Jesus curava fazendo perguntas diretamente ou indiretamente; e a primeira pergunta que Jesus fez para este homem do Evangelho foi “O que você quer que eu faça?”. É a mesma coisa que eu faço porque aprendi esta pedagogia de Jesus. Ao invés de rezar pelas pessoas de imediato eu pergunto “o que você quer que eu faça”, porque há uma intenção por trás da pergunta.

Jesus estava caminhando de Jericó a Jerusalém; havia uma multidão, um homem cego, e muito barulho. O cego perguntou o que estava acontecendo, e lhe disseram “é Jesus de Nazaré”. Ele conhecia Jesus, mas não tinha coragem de se aproximar dEle porque as pessoas chegavam antes. Então este homem pensou que poderia ser a única oportunidade de se aproximar do Mestre.

Ele ficou sabendo que Jesus ia passar perto e começou a gritar “Jesus, Filho de Davi, tem piedade de mim”. As pessoas queriam calá-lo, mas ele gritava mais alto. Jesus ouviu os gritos e perguntou o que estava acontecendo e disseram a Ele que havia um cego gritando. Jesus sabia que ali havia alguém que realmente necessitava; Ele ouviu este homem e disse às pessoas: “tragam ele aqui!” Raramente Jesus fazia este tipo de coisa, este é um caso raro que Jesus pede que tragam alguém até Ele.

Jesus impôs a Sua mão para curá-lo, mas antes perguntou algo simples: "O que você realmente quer?". Não seria uma pergunta tola a fazer, já que todo mundo sabia que ele era cego? Esta pergunta colocou este homem a pensar que ele não precisava apenas de uma cura física, ele percebeu que haveria uma questão mais importante para pedir ao Senhor. Ele pensou na sua visão espiritual e emocional: “Senhor, que eu veja”. E então Jesus diz: “seja feito como queres”.

Mas a coisa real acontece agora. O que este homem fez? Ele voltou para casa porque podia ver? Não, ele estava vendo Jesus, e ele reconheceu Jesus como o Messias que vem trazer a Boa Nova, Aquele que Deus havia mandado para libertar as pessoas. Ele esqueceu as multidões, esqueceu a sua casa, esqueceu a si mesmo, porque agora só tinha olhos para Jesus.

"Jesus veio para curar o interior do homem"

Isso nos mostra que Jesus não veio apenas para curas físicas e terrenas, ele veio para curar o interior do homem, veio para que as pessoas O reconhecessem como a solução de todos os problemas. Este cego soube disso depois que foi curado da sua cegueira.

Jesus no Evangelho de João diz três coisas que é o resumo de todo o Evangelho. Primeiro, Jesus diz que é a Verdade, que constitui o início da nossa jornada. Segundo, Jesus diz que é o Caminho, que é a jornada por si mesma, e por ultimo Jesus diz que é a Vida, o final da jornada.

Jesus nos lembra que somente Ele é a Verdade, só ele pode nos trazer a mensagem que é a resposta para nossos problemas. Pessoas leem os filósofos, vão em outras religiões, e Ele mesmo diz “Eu sou a Verdade, eu tenho a Vida Eterna.”

Ele diz “Eu Sou o Caminho”. Existem duas formas de ir a um caminho certo; um é pedindo informações para outras pessoas, mas Jesus não faz isso, Jesus não nos dá informação, Ele diz: “Siga-me”; por isso não existe outro caminho. “Eu Sou o Caminho”, ou seja, Eu Sou o final da jornada, somente Eu dou vida, vida em plenitude.

Então, em uma frase, Jesus nos ensinou a essência da verdade e da nossa vida: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”

Por isso os primeiros seguidores de Jesus não eram chamados de cristãos, eram chamados de “os seguidores do Caminho”.

Quero continuar terminando este tópico para lembrar você as três fontes para nossos problemas: eu mesmo, as pessoas ao nosso redor, e as forças do mal. Por isso precisamos no arrepender dos nosso pecados, não posso receber Jesus se há outros espíritos em mim.

Numa libertação precisamos saber de onde vieram estas influências malignas, cuidar das causas destes problemas e, finalmente, identificar as formas com que estes problemas chegaram até mim.

Neste mundo, de um lado temos notícias muito más, onde a própria Palavra de Deus diz que “o mundo jaz sobre a influência do maligno”. E de outro lado temos a Palavra de Jesus que nos diz “Não tenhais medo, Eu venci o maligno!”

Quando eu dou retiro aos padres eu digo o 'por que' Jesus veio a este mundo e se encarnou no nosso meio; Jesus se tornou homem com um propósito: destruir o poder do mal."

sábado, 13 de novembro de 2010

Amar a Deus e ao Próximo é o Resumo da Fé Cristã - Por Padre Rufus.


"Antes de dar a mensagem do Evangelho desta noite, quero agradecer a Deus por me colocar em contato com esta linda comunidade, a Canção Nova.

Fé em Deus e amor aos outros: estas são duas palavras que eu gostaria que você guardasse nestes dias que estaremos juntos.

Gostaria de começar esta homilia com uma pergunta que foi feita a Jesus: “Mestre, qual é o maior de todos os mandamentos?”

Muitas perguntas foram feitas a Jesus. Perguntas feitas por pessoas boas e más, por seus amigos e também por inimigos. Esta pergunta que foi feita não era por uma pessoa amiga, uma pergunta que inclusive à primeira vista parecia muito honesta. É certo que houve um contexto por trás desta pergunta, porque depois que Deus deu a Moisés os mandamentos, infelizmente os líderes do povo acrescentaram muitos outros ao longo dos anos, chegando a mais de 600 mandamentos.

As pessoas queriam reduzir este número e saber como resumir estes mandamentos. Então a pergunta “qual é o maior de todos os mandamentos?” foi feita também a Jesus, e eles respondeu: “o maior de todos os mandamentos é este: amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração e com toda a tua alma”. Mas também disse que não tinha terminado de responder, pois havia um outro mandamento que se encaixava também na resposta: “ame teu irmão como a ti mesmo”

Antes da sua morte, Jesus voltou a esta pergunta, e disse que eles tinham ouvido muitos mandamentos, “mas Eu lhes dou um novo mandamento: que vos amei uns aos outros assim como Eu vos amei”, ou seja, Jesus estava adicionando o mandamento d'Ele: “ame seu semelhante da maneira que Eu amo você”. Este é o resumo da nossa fé cristã, é o resumo do catolicismo.

Estras dua palavras resumem a fé crista: fé em Deus que nos ama e amor total às pessoa que estão ao nosso redor.

"Deus tem maior vontade em nos dar do que nós em receber"

Para ilustrar, eu queria falar do que Jesus disse no Sermão da Montanha e na Ultima Ceia, quando Ele estava ensinando como rezar ao Pai. Jesus disse que a nossa oração deve ser um relacionamento. Você não consegue rezar se não ver Deus como Pai, você tem que ter um relacionamento belo com seu Pai, de modo que você e o Pai possam experimentar deste diálogo. Por isso Jesus disse “quando for rezar, entra no teu quarto, fecha a porta, e fala com teu Pai que está escondido”, ou seja, faça com que isso seja um relacionamento entre você e o Pai. Jesus quis enfatizar com força a questão de “fechar as portas”, para estar com o Pai em silêncio.

Existe um tempo de estar sozinho com o Pai, mas não se esqueça que você tem irmãos e irmãs deste mesmo Pai. Jesus diz “quando dois ou mais estiverem reunidos em oração no meu nome, Eu estarei no meio deles”. Jesus diz que quando você rezar desta maneira sua oração será ouvida. Quando dois ou três se reunirem em oração - porque não são estranhos - Deus vai responder esta oração, porque quando você reza desta maneira, Jesus diz “ Eu sou irmão mais velho, sou a cabeça da qual vocês constituem o corpo, e estarei com vocês, porque vocês são meus irmãos e Deus é Meu Pai” Com certeza, também esta oração será ouvida.

Não esqueça que para o cristão, a oração tem dupla direção. Preciso de silêncio, estar com Deus Pai, e orar com Ele chamando- O de Paizinho. Mas existe esta segunda direção, de rezar com os outros.

Você precisa rezar com a(o) esposa(o), por exemplo. Eu sempre digo nos retiros de casais que prego que casais precisam rezar todos os dias juntos, nem que seja por um minuto. Tem também os amigos; às vezes você quer mostrar sua amizade aos amigos fazendo tantas coisas, mas a melhor coisa que você pode fazer com seu amigo é rezar junto com ele, e Jesus vai escutar esta oração.

Por isso, durante estes dias, não somente os casais, mas também os amigos, precisam rezar juntos. Está tudo na bíblia, você pode ler quando chegar em casa. Reze a Deus Pai como se não houvesse mais ninguém próximo a você, mas não esqueça a oração com seus irmãos e amigos. As vezes a pessoa tem tantos problemas que está só esperando alguém tocar nela e rezar por ela, não precisa colocar a mão na cabeça e fazer uma longa oração, basta tocar no ombro e rezar um Pai-nosso.

Antes de vir para o Brasil eu estava em Portugal e recebi uma mensagem dizendo que tinha uma menina que estava num hospital católico, um dos melhores na minha diocese, onde começou a Renovação Carismática no meu País. Ela estava lá, sentindo muitas dores e que os médicos do hospital - que são os melhores de Bombaim - disseram a família que não tinham como curar a enfermidade da menina, e o pior, nem sabiam as causas destas dores. Ela estava passando o dia inteiro na UTI deste hospital.

Então, quando eu fiquei sabendo, queria ir lá no hospital e rezar opor esta menina. E quando eu ouço as pessoas dizerem que os “médicos disseram que não tem cura e que a pessoa esta sofrendo”, eu gosto de rezar por estas situações, porque a Palavra diz que “para Deus, nada é impossível”. Então o que eu fiz? Eu rezei, entrei em contato com Deus e perguntei o que Ele queria que eu fizesse. E Espírito Santo me disse: “pergunte se ela lembra do que aconteceu no dia que começaram as dores”. Ela não conseguia falar, mas de repente ela disse “eu fui a casa de uma amiga e bebi um refrigerante”. Foi a partir desta hora que começaram as dores. Então eu rezei e pedi ao senhor que removesse o mal, destruísse a maldição e trouxesse a bênção.

“Senhor liberte esta jovem de qualquer maldição que tenha sido colocada neste copo de refrigerante”. Foi o que eu fiz primeiro, pedir ao Senhor que tirasse qualquer maldição. Abençoei a água - que é um sinal da bênção de Deus - e pedi que ela bebesse. Depois que ela bebeu a água, olhou nos meus olhos e disse: “a dor desapareceu”.

Você certamente conhece o café instantâneo; pois bem, esta é a oração instantânea. Você não precisa rezar por muito tempo, Deus não é surdo, ele sabe o que te dar. Deus tem maior vontade de nos dar do que nós em receber."

Deus Nossa Imagem e Semelhança - Por Padre Rufus Pereira.


"Queridos irmãos e irmãs em Nosso Senhor Jesus Cristo, depois da homilia da Missa de ontem, eu conduzi vocês numa oração após a Sagrada Eucaristia. E começando o dia de hoje do nosso retiro, eu quero chamar a atenção de vocês para a realidade de que a nossa fé é baseada naquilo que Deus fala conosco.

Já nos primeiros dias Deus falou ao povo de Israel através de Abraão, Moisés, Jeremias, Isaías, dentre outros. E tudo aquilo que Deus falou para os líderes e profetas daquele tempo foi escrito e é conhecido pelo nome de Antigo Testamento.

É bom que a gente saiba qual é o lugar do Antigo Testamento na nossa fé. Certa vez, um jovem me disse que “agora sim ele sabia o que era a Palavra de Deus”. No entanto, ele havia tirado de sua Bíblia as páginas do Antigo Testamento. E isso não é correto. O Antigo Testamento é parte da Palavra de Deus para nós hoje.

Não podemos cair em dois extremos: em desprezar e considerar o Antigo Testamento apenas como história ou, a exemplo de cristãos de outras denominações, referir-se às passagens do Antigo Testamento muito mais do que às passagens do Novo Testamento. A atitude correta é a da Igreja Católica.

A Dei Verbum nos ensina que o Antigo Testamento é uma preparação para o Novo Testamento. Portanto, o Antigo Testamento precisa ter um lugar correto em nossa fé.

E então você tem o Novo Testamento, que consiste nos quatro Evangelhos e nas Cartas. E as Cartas são um importante testemunho da fé da Igreja Primitiva. E também são uma continuação da mensagem básica do Evangelho.

Mas são os quatro Evangelhos que formam a parte mais importante da Bíblia. Talvez você não consiga ler toda a Bíblia. Talvez você não consiga ler os livros do Antigo Testamento. Talvez você não consiga nem ler as belas Cartas do Novo Testamento. Mas lendo apenas os quatro Evangelhos você pode crescer na fé.

"Esta é a base da nossa fé cristã: o amor de Deus"

E, caso você não consiga ler os quatro Evangelhos, eu recomendo a você ler o Evangelho segundo Lucas, porque ele é, de certa maneira, o Evangelho do Terceiro Milênio. Portanto, a primeira coisa que eu quero dizer a você é que, mesmo que você não tenha tempo de ler a Bíblia de “capa a capa”, você crescerá na fé ao ler esses dois livros: o Evangelho segundo Lucas e o livro dos Atos dos Apóstolos, que é uma continuidade dos Evangelhos.

A nossa fé precisa estar baseada na Palavra de Deus. Desde que eu ingressei na Renovação Carismática Católica, eu deixei de ler outros livros. O único livro que eu realmente leio é a Bíblia. Eu não leio nem mesmo os livros que eu escrevo. Não podemos deixar o Evangelho, a Palavra de Deus de lado. A nossa vida precisa estar baseada inteiramente na leitura das Sagradas Escrituras. Nós temos de nos chamar de homens e mulheres da Palavra. Da Palavra de Deus.

Certa vez eu encontrei um pequeno livro com o título: “O Evangelho em mil línguas”. Fiquei curioso ao me deparar com aquele título. Como poderia um livro tão pequeno conter todo o Evangelho em mil línguas? Ao abrir o livro tive uma bela surpresa: cada página trazia as traduções em mil línguas de um único versículo da Bíblia. Era o versículo de João 3,16: “Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Quem é este Deus que nos ama? Esta é a base da nossa fé cristã: o amor de Deus. Para nós Deus é um Deus de amor. Deus é o Todo Poderoso. Sabemos disso. Mas o mais importante é saber que Deus me ama. Podemos proclamar que o Cristianismo é a religião do amor.

O que temos lido atualmente nos jornais? Calamidades, guerras, inúmeras más notícias. E a grande má notícia é que existe muito ódio no mundo. Pessoas são glorificadas por matarem em nome da religião. Mas na nossa fé cristã não há lugar para “homens bombas”, para pessoas suicidas. No Cristianismo temos inúmeros mártires que se sacrificaram por amor.

Mesmo que eu tivesse que passar esses três dias somente falando sobre o Deus que é amor, isso já seria suficiente. Deus nos criou a partir do seu amor. Você pode dizer: eu estou aqui porque Deus me criou a partir do seu amor. E isso é suficiente.

Como que eu sei que Deus me ama? Porque Ele me criou a sua própria imagem e semelhança. Quando você se olha no espelho você contempla a face de Deus, pois você foi criado à imagem e semelhança d'Ele.

Deus me criou para a felicidade. E esta felicidade não é somente para o Céu. Mas é para hoje também. Mesmo em meio ao sofrimento e dor. Deus me ama tanto que Ele está falando constantemente comigo de dia e de noite.

Como que eu sei que Deus me ama? Porque Ele me corrige. Um bom pai sempre corrige seu filho. Porque ele quer que seu filho chegue à perfeição. Deus corrige o seu povo. Mas não é por vingança que Ele faz isso, mas é para melhorarmos, para mudarmos.

A principal razão pela qual eu creio que Deus nos ama é porque Ele quer ter uma relação pessoal conosco. Ele nos criou à sua imagem e semelhança, mas somos diferentes entre nós. Temos olhos, ouvidos, boca, mas não somos iguais. Somos diferentes. Somos únicos. Só existe um Rufus, uma Maria, um José... Somos únicos!

Para nós Deus é uma pessoa. Para muitas religiões, Deus não é uma pessoa, mas sim uma divindade impessoal. Mas para nós Ele é uma pessoa. E Ele quer sentar-se “cara a cara” e falar conosco. Deus quer que eu seja melhor. Assim como todo pai quer se orgulhar do seu filho. Deus quer que sejamos tão santos como Ele. Deus não olha para nós como “rivais”. Mas Ele quer que sejamos como Ele: perfeitos como Ele é perfeito.

Talvez eu não consiga ser aquilo que Deus é. Mas eu acabo cometendo aquilo que chamamos de pecado. O pecado não significa somente cometer atos maus, mas sobretudo não chegar à santidade, à vontade de Deus. Se não chegamos até o objetivo de Deus, Ele não nos destrói. Mas Ele nos dá uma, duas, três, milhares de chances! Ele não me destrói. Ele me perdoa. Deus é generoso e rico em misericórdia. Ele é um “pai exigente” e, ao mesmo tempo, uma “mãe que perdoa”.

Vamos pegar o exemplo de Davi. Deus amava a Davi antes dele cometer aqueles dois terríveis pecados: o adultério e o assassinato. E depois dos pecados cometidos, Deus não escolheu outro para o lugar de Davi. Mas o amou. O mesmo Jesus fez com Pedro. Após negar a Jesus, Pedro não foi rejeitado pelo Senhor. Jesus não escolheu outra pessoa para ser o primeiro Papa no lugar de Pedro. Ao contrário, Jesus orou por Pedro para que Ele pudesse confirmar na fé os seus irmãos.

Deus nos ama apesar de nossas fraquezas. E Ele quer que você volte para sua casa restaurado. Ele quer te preencher com o Espírito Santo, para que você seja um apóstolo do amor em sua casa. É por isso que você está aqui. Para ser uma pessoa santa como Ele é santo."

Buscai em Primeiro Lugar o Reino de Deus - Por Padre Rufus Pereira.


"Jesus sabe o que está errado com você e pode te curar, mas você precisa se dirigir a Ele e não a ninguém mais, nem mesmo a mim, eu sou apenas um sinal, somente Jesus cura.

Como Ele disse no Evangelho de São João: “Todos vieram para destruir, somente eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância”. Somente Jesus disse “eu vim para lhe dar vida”, e não é uma vida pequena, mas em plenitude.

Hoje eu tive dois casos de pessoas que têm sofrido por muito tempo, e a solução era simples. Eu as ajudei a descobrirem a causa dos problemas e rezei para que Deus as ajudassem. Esse é o segredo da cura rápida e completa. Jesus não veio para nos livrar dos sintomas, mas para nos curar das doenças, revelando a nós as causas de nossas enfermidades. Eu me sinto triste por essas pessoas esperarem por tanto tempo para experimentarem a cura.

Um acontecimento de 1977, alguns meses depois que foi liberado para trabalhar nos encontros da Renovação Carismática Católica (RCC) fui dá um retiro numa diocese onde estava os padres salesianos. Nas noites, eu fazia a proclamação da Palavra de Deus, nas manhãs e nas tardes eu ajudava as pessoas na confissão, aconselhamento e oração.

Na segunda manhã do retiro um jovem veio me ver e trazer um problema. Ele disse que a esposa dele o havia deixado levando com ela os dois filhos pequenos. Esse é problema mais importante que a Igreja e a sociedade têm de enfrentado, a quebra das famílias. Pensei que ele ia culpar sua esposa, mas fiquei surpreso quando ele me disse que a palavra que eu havia pregado teve um impacto na vida dele e que ele percebia que era sua culpa a separação. Na Igreja Católica o começo de uma nova vida sempre começa quando ouvimos a Palavra de Deus que nos faz a levar nossos pecados para serem perdoados pelo Senhor.

As duas coisas que você sacerdote deve fazer é proclamar a Palavra de Deus aos domingos, e estar disponível para ouvir as confissões das pessoas.

Eu pensei que o jovem queria sua esposa de volta, e ele não veio por isso, veio por ele. E ele disse: “padre foi minha culpa, eu tenho bebido muito, quase alcoólatra, tenho batido em minha esposa, é minha culpa”. Esse é o poder da Palavra de Deus, faz com que a pessoa não queira mudar os outros, mas a si mesmo. Ele fez uma linda confissão, sincera e completa de toda a sua vida.

Quando ele estava saindo, eu me lembrei que ele tinha chegado de bengala, mancando muito, então eu o chamei e disse: “Fred, pensei que tinha vindo por causa da sua perna”. Ele ficou pasmo. E eu disse: “você quer que Jesus cure sua perna?” Ele não dizia nada. Eu insisti e ele disse: “se quiser pode rezar”. Percebi que ele não tinha vindo por causa da sua perna, mas veio por causa aquilo que era mais importante para ele, se reconciliar com Deus pai. Veio a minha mente o versículo do Sermão da Montanha: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo” (Mateus 6,33).

"Coloque Jesus no centro de sua vida, e assim tudo mais vos será dado", ensina padre Rufus

Aqui está o segredo para a cura: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus”. Coloque Deus no centro de sua vida, busque ser tão santo quanto Ele, busque Seu Reino, e “tudo mais vos será dado”. Alguém mais poderia ter dito algo tão lindo?

O jovem Fred trabalhava numa fábrica e uma máquina que ele estava operando quebrou e começou a bater na sua perna esquerda que quase foi esmagada, ficou internado 6 meses. Ele perdeu seu emprego, e a companhia deu a ele um pequeno emprego, com um pequeno salário. Quando ele me contou, eu reclamei a promessa de Jesus e disse: “Senhor, ele veio buscar não cura física, mas o teu Reino, peço para ele a segunda parte, peço Sua promessa para que o cure”. Eu toquei no joelho dele, e rezei e ele não sentiu dor. Seu joelho começou a dobrar e logo ele se ajoelhou e começou a gritar: “milagre!”. Eu pedi para ele se levantar, abaixar e andar. Depois mandei ele descer as escadas, pedi para ele correr e ele correu até sua casa.

Quando eu estava dando mais uma palestra à noite, eu vi o Fred chegando, ele foi até o altar e deixou sua bengala e contou o que Jesus tinha feito em sua vida. No outro dia ele foi na fábrica de bicicleta, e os amigos contaram ao chefe, e Fred testemunhou o que Jesus tinha feito por ele, e o chefe o devolveu o emprego com um alto pagamento e tudo isso foi colocado na revista da empresa detalhando o milagre. Naquela mesma noite sua esposa voltou para ele com as duas crianças.

“Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus, e tudo mais você será dado por acréscimo”. Foi isso que Fred fez, ele pediu três grandes curas importantes: cura espiritual no relacionamento com Deus, que foi quebrado por seu comportamento. Ele experimentou seu amor por Deus através do sacramento da reconciliação. Em segundo lugar o que ele pediu foi a cura emocional, Deus curou suas feridas quando ele perdoou sua esposa e as pessoas que o haviam ferido. A terceira cura foi a libertação do poder maligno e do alcoolismo, Deus lhe deu essa cura quando ele renunciou as práticas ocultas realizadas por ele e sua família.

Deus também deu ao Fred a cura de três outras situações: primeiro a cura física de sua perna, Deus o curou sem ele ter pedido. Segundo ele recebeu do Senhor, sem ter pedido, a cura financeira, Deus lhe deu de volta o emprego. Em terceiro lugar ele recebeu também, sem ter pedido, a cura matrimonial, sua esposa voltou sem ele ter pedido, sem esforço de ninguém, ela voltou na mesma noite com as crianças.

Com frequência, as pessoas me pedem para rezar pelo matrimônio, pela família, pedindo emprego, mas Deus diz: “busque o Curador e não cura, o Libertador e não a libertação e tudo mais vos será dado”. Esse é o segredo de uma cura que pode acontecer completamente e rapidamente.

Em 1980 eu fui dar um retiro na Malásia para padres e bispos, fui com desejo de transformar a Malásia que é um pais muçulmano. O bispo daquela diocese na Malásia, queria muito esse retiro, pois ele se sentia fracassado, a maioria dos padres vinham de fora, e ele era o primeiro padre local que tinha se tornado bispo, e sentia que não podia mais conduzir sua diocese e pensou nesse retiro como uma esperança.

Quando fui dar esse retiro e comecei a desapontá-lo, pois o retiro começou com festa na casa do bispo e todos com os copos cheios de champanhe e eu estava chateado. Como começam retiro bebendo champanhe? E quando o bispo levantou o copo para brindar o pregador o copo se quebrou em mil pedaços. Todos ficaram chocados com a situação, depois desse momento de susto ele encheu o copo de champanhe para brindar mais uma vez.

Teve um jogo de futebol entre bispos e padres e eu achei isso muito estranho, e pensei: “tenho que tomar parte disso”, e me coloquei no time dos bispos. E o retiro terminou com um grande banquete em um hotel cinco estrelas. Mas a vontade de Deus sempre vence, eu preguei na intenção dos bispos e dos padres para serem curados de suas feridas, e na segunda manhã o bispo veio confessar comigo. A Palavra tinha tocado o coração dele, ele se confessou prostrado no chão, colocou sua testa em meus pés e dali ele fez sua confissão gritando seus pecados, tão alto, que eu estava com medo que as pessoas ouvissem. Depois do retiro ele me disse que queria ir comigo em todas as paróquias para fazer o retiro.

Um ano depois daquele retiro, o bispo pediu que dois ou três padres o acompanhassem, e todos os dias eles passavam duas horas lendo e meditando a Palavra de Deus, e a noite passavam duas horas em oração diante do Santíssimo. Depois desse tempo de preparação, eles foram em cada paróquia daquelas dioceses pregando o Seminário de Vida no Espírito. E qual foi o resultado? Aquela diocese que tinha muitos problemas com drogas, prostituição, suicídio… Depois de passarem uma semana em cada paróquia, houve uma transformação, desapareceu a prostituição, as drogas, os suicídios... E apareceram vocações que o bispo teve que fazer um outro seminário. O lugar foi totalmente transformado pelo poder do Espírito. E tudo isso aconteceu porque um bispo reclamou as promessas de Deus.

Coloque Jesus no centro de sua vida, e assim tudo mais vos será dado."