sábado, 27 de fevereiro de 2010

ORAÇÃO E JEJUM - FREI SLAVKO BARBARIC




Prezados amigos do blog Água Viva. Encontrei este breve texto a respeito do jejum e da oração. Nada melhor para este período quaresmal que retormar as práticas tradicionais da Igreja Católia, entre elas o jejum. No Livro do Profeta Jonas, nos é ensinado que o jejum e a oração tem o poder de mudar o curso natural dos acontecimentos. Isso aconteceu quando Deus, que já havia decidido pela destruição de Nínive (com já havia feito em relação a Sodoma e Gomorra), mudou de idéia e resolveu preservar a cidade, em razão do jejum, oração e arrependimento de seus moradores. Você percebeu? O jejum + oração movem o coração de Deus.

Eis o texto, bom proveito.

"Oração e jejum pela paz

Na mensagem de 25 de setembro de 2001, Nossa Senhora diz:



« … rezem e jejuem para que Deus possa dar a paz a vocês … »



Rezar e jejuar pela paz foi a substância de toda a vida do Frei Slavko Barbaric, diariamente ele estava a serviço das mensagens de Nossa Senhora. No seu último livro: “Jejuar com o coração”, Frei Slavko escreveu especialmente sobre o jejum e oração pela paz. Vamos ler algumas passagens do livro:

Maria é a Rainha dos profetas

Todos os profetas pediram conversao, jejum e oração como condições para a paz. Ela nao tem nenhum meio melhor ou diferente que aqueles pelos quais os profetas pediram pela paz, isto é: conversão, oração, jejum e fé firme.

Pedindo-nos para jejuar dois dias na semana, Maria permanence na tradicao de sua nacao israelita, e lembra-nos da tradição multicentenária da Igreja Ocidental e Oriental.

Enquanto o Concílio Vaticano II pede a todos para retornar “à fonte”, nós devemos admitir que nós nao descobrimos o jejum, mas o contrário tem acontecido. Em décadas passadas, o jejum foi reduzido à medida minima possível – dois dias por ano: quarta-feura de cinzas e Sexta-feira Santa.

As aparições de Medjugorje não tem apresentado nada de novo nem revelado alguma coisa desconhecida. Ao invés disso, elas nos ajudam a aceitar o que Deus pediu através dos profetas – o que Maria fez e o próprio Jesus tem feito.

Na revelação bíblica, jejuar estar ligado com o chamado à oração e à conversão

Os profetas jejuaram antes de aceitar seu service como profetas e antes de revelacoes especiais. Indivíduos jejuaram em várias circunstancias da vida – alegria, gratidao, pesar, e pecado. Mesmo a nacao inteira jejuava em preparacao para certas festas, para ser salva de uma catastrophe ou para sair de uma catástrofe uma vez que tenham caído nela.

"(Jejum e Visões: Ex 34,27-28; Dt 9,9-11; Dn 10,1-8. Lamentacoes dos pecados: 1 Sm 7,3-6; 1 Kgs 21,20-29; Dn 9,3-5. Jejum em época de pesar: 1 Sm 31,11-13; 2 Sm 1,11-12; 1 Chr 10,11-12. Oração e jejum pela cura: 2 Sm 12,13-17. Jejum e cura interior em um experiencia de Deus: 1 Kgs 19,6-13. Jejum e perigo de guerra: 2 Chr 20,2-4; Jdt 4,12-13; 1 Mc 3,44.47; 2 Mc 13,11-12; Jon 3,4-9. Oração e jejum por uma jornada abencoada e segura: Ezr 8,21-23. Jejum depois da destruicao da guerra: Neh 1,3-4. Jejum depois de retornar à verdade de Deus: Neh 9,1-2. Jejum, Oração, Caridade e Retidao: Tob 12,8. Jejum duradouro sem pesar: Jdt 8,5-6; Lk 2,36-38. Jejum em uma situacao de perigo pessoal: Est 4,1-3.15-16,17k. Jejum nos Salmos: Ps 35,13; Ps 69,11-12; Ps 109,24-25; Sir 34,26. O significado do jejum – um novo relacionamento: Is 58,1-6; Jer 14,11-12; Zeh 7,4-5; Zeh 8,18-19. Jejum e preparacao para ouvir a palavra de Deus: Jer 36,5-7. Respondendo à palavra de Deus com jejum e oração: Bar 1,3-6. Jejum e oração como uma maneira de sair de um estado de pecado comum: Jl 1,13-14; Jl 2,12-15; Jejum de Jesus: Mt 4,1-11. Jesus fala sobre o jejum: Mt 6,16-18; Lk 18,10-14; Mt 9,14-15; Mk 2,18-20; Lk 5,33-35. Jejum e oração fortalecem a fé: Mt 17,20-21. Jejum e prece usados contra Satanás: Mk 9,25-29. Jejum e oração antes de ser enviado para o Servico: Acts 13,2-3; Acts 14,21-23. Jejum de Sao Paulo: 2 Cor 6,3-8; 2 Cor 11,25-28.)."

Jejum e Paz

A paz é o fruto do Espírito.

O mais profundo desejo do coração humano é realmente pela paz. Em tudo que fazemos, seja bom ou mau, nós procuramos paz. Quando uma pessoa ama, procura e experimenta a paz, ou mesmo quando ela odeia e quer vingança, ela procura paz. Quando ela permanece sóbria ou luta contra o vício, ela procura paz. Quando ela torna-se bêbada, ela procura paz. Quando ela luta por sua vida ou pela vida dos outros que ama, ela imagina a paz. Mesmo quando ela levanta sua mãos contra si próprios e comete o suicídio, ou mata alguém, novamente, ela procura paz. Portanto, cada decisão do homem, é, em sua essência, uma decisão pela paz. Claramente, quando o bem está sendo feito, a paz pessoal e a paz dos outros está sendo concebida. Por outro lado, quando o mau está sendo cometido, é a procura da paz de alguém às custas da paz de outros.

Olhando ainda de uma outra perspective, nós podemos ver o quão frequente nós perdemos a paz porque nós somos egocêntricos, egoístas, invejosos, ciumentos, avarentos e consumidos pelo poder e pela honra. A experiência confirma que através do jejum e oração o mau, o egoísmo e o egocentrismo são superados; o coração é aberto e amor e humildade, generosidade e bondade crescem. Assim, as verdadeiras condições para a paz são realizadas. Quem quer que tenha paz porque ele ama e perdoa, também permanece saudável espiritual e fisicamente. Ele permanece capaz de moldar sua própria vida em um modo próprio do homem, que é a mais exaltada das criaturas de Deus. Através da oração e do jejum, as necessidades humanas são também reduzidas e colocadas em proporção. Também por isso, as condições de paz junto com os relacionamentos com os outros e coisas materiais estão sendo criadas.

Por isso um equívoco vem quando o jejum é experimentado de uma maneira negativa, como uma renúncia de alguma coisa: isto é, quando seu benefício não é reconhecido no nível espiritual. Por esta razao, nao é possível falar em substituir o jejum por boas obras ou qualquer outra coisa. Neste contexto, nós podemos compreender porque a paz é sempre prometida depois da conversão e depois do jejum e oração.

É portanto, através do jejum que uma pessoa chega a compreender que elea deve lutar contra si própria. Nesta maneira, nosso subconsciente é também liberado de tudo o que nos leva a inquietação e a desordem. A alma torna-se calma e condicoes para a paz são realizadas. O seguinte texto apresenta brilhantemente uma imagem desta batalha:

“Quando um rei quer ocupar uma cidade do inimigo, ele primeiro apodera-se das fontes de água e para todo o forneciento. Quando os habitantes começam a morrer de fome e sede, eles se rendem a ele. Isto é o que acontece como com desejos físicos: quando um religioso vem contra eles com jejum e fome, os inimigos da alma perdem a força..”

A experiência claramente confirma que sem uma batalha contra os inimigos internos da paz, nao é possível chegar a paz. É por isso que o jejum é um dos meios muito tentado e testado. É também por isso que não acidentalmente, todos os profetas, junto com Jesus e depois, toda a tradição da Igreja, tem chamado o homem ao jejum e a oração, assim ele pode abrir-se à verdadeira paz. O problema é que o homem é inclinado a seguir o caminho dos falsos profetas que prometem uma paz fácil que realmente nao existe.

Jejum e Oração

Jejum, oração e boas obras sao mencionadas frequentemente por ambos judeus e cristaos. Oração não fica a frente do jejum, e boas obras, independente deles, mas como algo que liga-os de dentro. O mais complete entendimento da oração é particularmente oferecido em conexão com o jejum. Quando nós olhamos o que é ditto sobre a oração, e como ela é definida, nós podemos ver que a enfase é naturalmente mais no estado do coração e alma que no corpo, como possível expressao de oração ou da oração em geral.

A resposta para a questão, “O que é a oração?” é encontrada no Catecismo da Igreja Católica. É a definicao de Santa Teresa do Menino Jesus: “Para mim, oração é uma onda do coração; é um simples olhar virado para o Paraíso, é um grito de reconhecimento e de amor, abracando ambos a alegria e a provação” . É também a definição de São João Damasceno: “Oração é a subida da mente e do coração de alguem à Deus ou o pedido das boas coisas de Deus.”

Primariamente, a conversa com Deus como atividade espiritual é enfatizada. Todavia, há também a prática e a experiencia de que nao apenas pensamentos, conversa e atos espirituals por si só estao inclusos na oração, mas também é o corpo. A oração torna-se mais completa por meio do corpo e do movimento, que acompanha aas palavraas da oração. O corpo e seu movimento baseiam a oração tornando-a mais completa e expressiva para que ela possa mais facilmente incluir a pessoa inteira.

A unificação do corpo e da alma na oração são particularmente manifestadas em jejuar e orar. O jejum físico torna a oração mais completa. Uma pessoa que jejua reza melhor e uma pessoa que reza, jejua mais facilmente. Desta forma, a oração não permanece somente uma expressão ou palavras, mas inclue o ser humano inteiro. O jejum físico é uma admissao para Deus diante dos homens que alguem não pode fazer sozinho e necessita de ajuda. Uma pessoa experimenta sua impotência mais facilmente quando ela jejua, e por isso, por meio do jejum físico, a alma está mais aberta a Deus. Sem jejum, nossaas palavras na oração permanecem sem uma fundação verdadeira. No Velho Testamento, os crentes jejuavam e rezavam individualmente, em grupos e em várias situações da vida. Por causa disso, eles sempre experimentavam a ajuda de Deus. (Cf. Ezr 8,21-23; 2 Chr 20,12) Jesus confere uma forca especial ao jejum e a oração, especialmente na batalha contra os espíritos do mal (cf. Mk 9,29). A mesma prática é encontrada na Tradicao da Igreja Católica e mais evidente nas regras de todas as ordens e comunidades religiosas. São Bernardo escreveu sobre o relacionamento entre jejum e oração dizendo:

“Eu direi a vocês algo que voces compreenderao facilmente e que voces tem frequentes experiências, se eu nao estou errado: o jejum dar a certeza para a oração e torna-a fervorosa … Por meio da oração, a força é ganhada para jejuar e através do jejum a graça da oração. O jejum fortifica a oração e a oração fortifica o jejum, e oferece-o ao Senhor”.

Isto é claro, porque , por meio do jejum, alguem torna-se mais alerta e aberto a Deus e ao que é espiritual. Pela mesma razão, o jejum está ligado à Eucaristia. Quando uma pessoa prática a renúncia e vive por um período com pão, ela prepara-se para um encontro com o Pão Divino. Este encontro excepcional com Deus, especialmente ligado a Eucaristia, é a evidencia de como o jejum é positive em si próprio e como ele possibilita-nos realizar o objetivo fundamental da oração – o encontro da pessoa inteira com Deus, o Salvador.

Em nossa época, Gandhi é conhecido como um homem que jejuava e orava. Ele dizia: “Minha religião ensina-me que em cada aflição que não pode ser aliviada, é necessário jejuar e orar.” Embora seja conhecido que Gandhi jejuava e orava com objetivos politicos em mente, ele acreditava profundamente que somente Deus podia mudar o coração e as intenções do homem através do jejum e da oração. Ele acreditava que, com jejum e oração, o homem é purificado por dentro, e libera-se da culpa, que, ao mesmo tempo, é uma expressao da solidariedade com aqueles que sofrem.

Disto acima, deve ser concluido que o jejum e a oração são inseparáveis apenas quando o homem como um todo, composto de espírito, alma e corpo, é inseparável.

Cf: Fr. Slavko Barbarić: Fast with the heart, Centro de Informação Mir, Međugorje, 2000

Retirado do site: www.medjugorje.ws

Disponível em inglês através do link:
http://www.medjugorje.ws/en/articles/medjugorje-priests/praying-fasting-peace/"

Um forte abraço a todos.

Marcos Suzin.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Oração de Santa Gertrudes


Prometeu o Senhor a Santa Gertrudes, que seriam libertas 1000 Almas do Purgatório, cada vez que esta Oração fosse rezada, sendo ainda extensível aos pecadores.


Eterno Pai,

eu vos ofereço o Preciosíssimo Sangue

de Vosso Divino Filho Jesus,

em união com todas as missas

que hoje são celebradas

em todo o Mundo,

por todas as santas Almas

do Purgatório,

pelos pecadores, em todos os lugares,

pelos pecadores,

na Igreja Universal,

pelos da minha própria casa e meus vizinhos.

Amém.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Fotos do Carnaval Com Cristo - 2010.

CARNAVAL COM CRISTO

Olá amigos do Grupo Água Viva. Conforme havia prometido, postamos algumas fotos do encontro "Carnaval com Cristo 2010".


Ronaldo abriu o evento às 14 horas. Momento de grande animação.


Músicos: Paulo Rogério e Erivelton.


Diácono Jair no momento da Adoração.

Momentos que antecederam à Santa Missa.


Padre Evaldo Petry e Diácono Jair durante a Celebração Eucarística.

Gabriel Chedid.

Após a bênção do Santíssimo Sacramento, o encontro teve sequência com o Santo Terço conduzido pelas legionárias da Legião de Maria.

Ao final do encontro, integrantes dos grupos de oração estavam com a consciência da missão cumprida.

Aqui integrantes já estavam pensando no próximo ano.

Agradecemos a todos os participantes, principalmente ao Padre Evaldo e ao Diácono Jair.
Tenham todos uma boa semana e até o próximo encontro.

Marcos Suzin.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

ORAÇÃO BASEADA NOS SALMOS! Agora com aprovação eclesiástica.



ORAÇÃO BASEADA NOS SALMOS

Senhor, nosso Deus, com inspiração nos Salmos, pedimos:

Que eu não vá ao conselho dos injustos. Que eu não pare no caminho dos pecadores, nem me assente na roda dos zombadores. Que o meu prazer esteja na tua Lei. Tu que és, Senhor, o escudo que me protege, és minha honra, aquele que me faz erguer a cabeça. Quando eu te invocar, responde-me ó meu defensor. Escuta as minhas palavras e os meus gemidos, ouve atento meu grito de socorro, meu Rei e meu Deus. Guia-me com tua justiça. Que eu fique alegre e me abrigue em ti. Volta-te, Senhor, liberta-me, salva-me por teu amor. Ergue-te contra o abuso dos meus opressores. Defende a minha causa e o meu direito. Sede minha fortaleza nos tempos de angústia. Que eu me abrigue em ti, Senhor. Que eu possa hospedar-me no teu Monte Santo. Que a minha alma tema a ti Senhor, que eu te louve em verdade. Que tu sejas, ó Senhor, o meu Pastor e nada me falte. Seja, ó Pai, minha luz e minha salvação. Que eu não fique envergonhado, que meus inimigos não triunfem sobre mim, que eles tropecem enquanto me perseguem. Que eu seja acolhido na casa do Senhor no dia da infelicidade, no esconderijo de tua tenda. Que minha alma procure a tua face , Senhor, e em ti confie. Ouve, ó Senhor, a minha voz quando eu clamar. Que tua ira dure só um momento e tua graça a eternidade. Transforma meu luto em dança e minha roupa de luto em roupa de festa. Reserva para mim a sua bondade, sendo um rochedo forte, uma fortaleza que me salva. Que a minha culpa seja absolvida e o meu pecado perdoado. Que as águas caudalosas que transbordam jamais me atinjam. Que eu confie em ti Senhor e o te amor me envolva. Que o anjo do Senhor acampe ao meu redor, me liberte e nada me falte. Guarda, ó Senhor, minha língua de falar mal e os meus lábios de dizerem mentiras. Que eu grite e o Senhor me escute, ouça meus clamores, livrando-me de todas as desgraças. Senhor, acusa os meus acusadores e combate aqueles que me combatem. Que eu não inveje os maus nem rivalize com eles, e que toda a minha confiança esteja em Deus. Que eu seja caridoso, cuidando do fraco e do indigente. Que minha alma tenha sede de Deus, como a corça que suspira pelas águas. Que eu tenha, pela graça de Deus, um coração puro e um espírito de retidão. Que minha alma repouse em Deus, pois dEle vem minha salvação. Que minha alma ouça-te, Senhor, e que nunca haja na minha vida um deus estranho. E que tu derrotes os meus inimigos todos, enquanto me alimento com a flor do trigo e o mel dos rochedos.
Que eu habite ao amparo do Altíssimo e viva à sombra do Onipotente e a Ele diga com todo o amor: MEU REFÚGIO, MINHA FORTALEZA, MEU DEUS, EU CONFIO EM TI. Livra-me, Senhor, de meus perseguidores, e que nenhum mal atinja a mim, a minha casa, o meu trabalho e a minha família. Que eu supere todos os obstáculos e pise todas as dificuldades. Que na angústia tu, Senhor, estejas comigo, me sacies com longos dias e me faças ver a sua SALVAÇÃO. Amém.



Abaixo pode-se ver a decisão do Bispo Dom Irineu Gassen, aprovando a presente oração, determinando algumas alterações que já foram processadas no texto.


A PAZ DE JESUS E O AMOR DA SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA, MÃE DE DEUS, A TODOS.

Marcos Suzin.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

11 de fevereiro, dia de Nossa Senhora de Lourdes















Lourdes é uma cidade situada no Sudeste da França, pertencente à diocese de Tarbes, dos santuários marianos, um dos mais freqüentados.
Segundo as declarações de Bernadete Soubirous, menina de 14 anos, filha de pobre moleiro do lugar, teve ela na gruta de Massabielle 18 aparições de Nossa Senhora, das quais a primeira foi em 11 de fevereiro de 1858 e a última em 16 de julho do mesmo ano. Na terceira aparição, em 16 de fevereiro, Maria Santíssima ordenou-lhe, que durante uma quinzena, viesse à gruta diariamente; em 25 do mesmo mês recebeu mais a ordem de beber água e de se lavar na fonte, que não existia, mas que imediatamente brotou, a princípio muito fraca, avolumando-se continuamente, até fornecer, como hoje fornece: 122.000 litros por dia.
Em repetidas aparições a Santíssima Virgem insistiu na necessidade de penitência e da oração pelos pecadores. Manifestou seu desejo de no lugar ver erguida uma igreja, a qual fosse visitada por procissões dos fiéis católicos. Em 25 de março, perguntada por Bernadete, quem era, a dama de aparência sobrenatural respondeu: "Eu sou a Imaculada Conceição". A fama das aparições, das curas, de todo extraordinárias, verificadas na gruta, os favores obtidos por meio de orações dirigidas a Maria Santíssima encheu toda a França e se estendeu aos países vizinhos.
O Bispo de Tarbes, em 28 de julho de 1858, nomeou uma Comissão, que durante 3 anos examinou minuciosamente todos os fenômenos observados na gruta de Massabielle. Esta mesma comissão sujeitou Bernadete a rigorosas interrogações; estudou escrupulosamente todos os casos que havia de curas maravilhosas, de que se dizia, terem se dado em Lourdes. Os próprios médicos dos doentes favorecidos eram convidados para fazer as suas observações profissionais, e se externar a respeito do restabelecimento, dito maravilhoso dos clientes.
No seu relatório, publicado em janeiro de 1882 Monsenhor Laurence, Bispo de Tarbes, reconheceu o caráter sobrenatural das aparições e autorizou o culto público sa SS. Virgem na gruta de Massabielle. Aos 04 de abril de 1864 foi colocada na gruta uma estátua da Imaculada Conceição, e em 02 de julho de 1876 sagrou-se a igreja construída no lugar indicado por Nossa Senhora. À mesma igreja o Papa Pio IX concedeu o título de Basílica, a qual enriqueceu muitos privilégios.
Mais tarde, em 1886, começaram as obras da grandiosa Igreja do Rosário, que apresenta uma vasta rotunda com cúpula de 15 capelas. Cinco anos se trabalhou na contrução deste santuário que, em 1910, foi sagrado e inaugurado.
Em 1891 foi estabelecida e autorizada a festa da Aparição da Imaculada Conceição na província eclesiástica de Auch, de que a diocese de Tarbes é sufragânea.
Em 13 de novembro de 1907 foi ela estendida a toda a Igreja. Desde então começaram a afluir a Lourdes as procissões não só de todas as regiões da França, mas também da Bélgica, da Holanda, da Alemanha, enfim de todos os países da Europa e de todo o mundo. Já em 1903 chegaram a Lourdes as procissões não só de todas as regiões da França, mas também da Bélgica, da Holanda, da Alemanha, enfim de todos os países da Europa e de todo o mundo. Já em 1903 chegaram a Lourdes 4.271 comboios, dos quais 292do estrangeiro, trazendo 3.817.000 romeiros. A afluência dos devotos, longe de no correr dos anos diminuir, aumentou continuamente. Contam as centenas de milhares, quiçá a milhões de pessoas que em Lourdes encontraram a paz da sua alma, alívio em seus sofrimentos corporais, espirituais, cura dos seus males.
Embora a Igreja Católica não obrigue a ninguém a dar crédito à realidade das aparições e ao caráter sobrenatural das mesmas, razoavelmente elas não podem ser postas em dúvida. Bernadete era uma menina simples do povo. Vestígios de histeria, de mania ou suscetibilidade religiosa nela não existiam. As suas declarações sempre ela as fez sem titubeação alguma e nunca se emaranhou em contradições. No leito da morte (12-12-1878) confirmou tudo coma mesma simplicidade e firmeza. Em seus relatos fala de cousas que ela mesma não compreendia, por exemplo: "Eu sou a Imaculada Conceição" (ou como ouviu Nossa Senhora textualmente falar: "Que soy era Imaculada Concepciou"). Predisse uma série uma série de aparições; insistia na existência de uma fonte oculta, que depois de fato apareceu. As autoridades eclesiásticas acompanharam tudo com muita atenção e máxima reserva. As curas milagrosas estão sob o controle de uma comissão de médicos, acessível a todos os facultativos sem distinção de credos ou mentalidades.
Esta comissão se ocupa detidamente a cada caso de cura milagrosa, e devem os doentes se sujeitar a um exame médico anterior, logo depois de sua chegada em Lourdes, e depois da cura que julgarem ter experimentado. Desde 1858 até 1904 a comissão oficial de médicos constatara a autenticidade de 3.353 curas, que se subtraíram à explicação natural e científica. Daquela data até hoje as curas milagrosas observadas em Lourdes se tornaram inumeráveis. A água da fonte que os doentes bebem e em que tomam banho de imersão, quimicamente analisada, que foi, não acusou existência de nenhuma substância mineral curativa. Sabe-se quanta influência a sugestão pode influir sobre certas doenças nervosas; mas quando se trata de cancro, de tuberculose, de cegueira ou fratura de ossos, a sugestão não pode ser tomada em consideração como fator restaurador da saúde.
Bernadete, em 1865 se fez religiosa da Congregação das irmãs de Caridade e do Ensino Cristão. Entrou no Convento de Nevers, onde professou em 22 de setembro de 1878. Muito sofreu, mas o meio dos sofrimentos físicos e morais, conservou sempre a simplicidade, a mansidão e a humildade, virtudes que sempre a caracterizavam. Faleceu no Convento de Nevers aos 16 de abril de 1879.
O Papa Pio XI em 14 de julho de 1925, inseriu o nome da Irmã Maria Bernarda no catálogo dos Bem-aventurados e canonizou-a em 02 de julho de 1933.






Ao lado vemos o corpo incorrupto de Santa Bernadete.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

NOSSA SENHORA DOS NAVEGANTES





Nossa Senhora dos Navegantes é um título dado a Mãe de Jesus, Maria.




A fé e a designação Nossa Senhora dos Navegantes, tem início no século XV, com a navegação dos europeus, especialmente com os
portugueses. As pessoas que viajavam pelo mar pediam proteção à Nossa Senhora para retornarem aos seus lares. Maria era vista como protetora das tempestades e demais perigos que o mar e os rios ofereciam. A primeira estátua foi trazida de Portugal junto com os navegadores. Nossa Senhora dos Navegantes é também conhecida pelo nome de Nossa Senhora das Candeias.