quinta-feira, 23 de julho de 2009

Um Testemunho Extraordinário.

Padre Roger da Canção Nova


Eu nunca me canso dar o testemunho abaixo a quem me procura, para demonstrar que Deus é presente em nossa vida, que Ele responde às nossas orações e que Ele nos conduz sempre pelo caminho mais apropriado. Lembre-se que "tudo conspira para o bem daqueles que temem a Deus".

Entretanto, eu nunca havia me lembrado de colocar este testemunho no blog Água Viva. Eis o testemunho.

Preste a devida atenção, pois é muito importante.

Não lembro ao certo, porém possivelmente no final do ano de 2002, início de 2003, vieram até a cidade de Vacaria o Padre Roger e o músico Laércio Oliveira, ambos da Canção Nova. Foi um corre-corre durante todo o dia (se eu não me engano, um sábado) para preparar o Santuário Nossa Senhora da Oliveira para a celebração da missa. Eu lembro que o meu carro parecia uma Kombi de feira, tamanha a quantidade de coisas (cadeiras, pedestais, etc...) que eu carregava. Trabalhei (junto com outros amigos dos grupos de oração) o dia todo, nem sei quantos quilômetros rodei. Era um grande esforço, mas valia à pena, era para o Senhor, para a realização de uma grande missa.

Chegada a hora da celebração, o saudoso bispo Dom Pedro Sbalchiero Netto me chamou e disse: "Marcos, você cuida do turíbulo?" (aquele porta-brasas em que se queima o incenso durante a adoração, e que deve ser agitado em pêndulo para que as brasas não se apaguem). Lógico que respondi que sim. Peguei o turíbulo, meio sem jeito e me atrapalhando com as correntes, e comecei a movê-lo em pêndulo, porém bem curto, pois o Santuário estava lotado e havia risco de bater nas pessoas. Dom Pedro olhou e não gostou, veio até mim e disse: "- Assim não!, Você tem que fazer com força, senão as brasas apagam e aí fica feio, pois o incenso não vai queimar". Eu bem que tentei, mas, como o Santuário estava lotado, tive de sair para fora, para não nocautear ninguém lá dentro.

A missa começou, e eu do lado de fora, com o turíbulo para lá e para cá, feito relógio de parede. Comecei a ficar com raiva e logo estava furioso. "Eu trabalhei o dia inteiro, puxei cadeiras, fiz de tudo e agora, na hora da missa, eu fico pra fora???". Alternei emoções, da raiva fui à tristeza, da tristeza à decepção. De tempos em tempos, a Miriam, nossa ex-coordenadora do Grupo Água Viva, me chamava para que eu levasse o turíbulo para dentro do Santuário e o altar fosse incensado. Depois eu voltava para fora.

A partir dai comecei a aceitar, afinal, alguém precisava fazer aquilo em favor dos que estavam lá dentro. Então aceitei e comecei a recuperar o bom humor. Algumas crianças passavam por ali demonstravam curiosidade pelo turíbulo. Algumas até queriam fazer o pêndulo, queriam brincar com ele. Nesse momento, vi Dom Pedro passando com o ostensório e o Santíssimo Sacramento bem perto das pessoas (e eu lá fora). Como eu queria estar lá dentro! Como eu queria estar pertinho quando Jesus passasse!

Mas, como eu disse, eu havia aceitado e vi tudo com paciência e alegria. Talvez os outros precisassem mais dEle do que eu naquele momento.

Na hora da comunhão eu continuava lá fora. Acabei não recebendo.

No final da missa, quando todos já haviam saído, entrei no Santuário para devolver o Turíbulo. Dom Pedro me agradeceu e saiu. Mas o que mais importa vem agora, PRESTE A ATENÇÃO.

O Padre Roger olhou e me viu ali no meio do Santuário e disse: "- o Marcos não comungou!". Aproximei-me dele e disse: "- Não, Padre, nem precisa, eu fiquei lá fora, quase nem participei da missa". Foi então que vi o ostensório com o Santíssimo Sacramento em cima da mesa da sacristia. O Padre Roger, então, abriu a portinha do ostensório, tirou o Santíssimo, quebrou no meio, guardou uma metade no cálice e me entregou a outra, quando então recebi a comunhão.

Isso tudo para mim tem um significado extraordinário, tanto que nunca mais esqueci daquele dia, nem do Padre Roger da Canção Nova. Naquele dia Jesus me disse, através do ocorrido: "Marcos, aceite tudo o que te acontecer, Eu mesmo serei tua recompensa". Compreendi, então, alguns problemas pessoais pelo quais estava passando.

Eu queria só estar pertinho quando Jesus passasse, mas recebi uma graça extraordinária, de levá-Lo comigo no meu coração. Eu queria um pouquinho, recebi muito mais.

Obrigado Padre Roger.

Obrigado Senhor Jesus.


 

Um comentário:

  1. EU TESTEMUNHO UM MILAGRE QUE MEU FILHO RESCEBEU COMPROU UMA MOTO DE SOCIEDADE MAS O MOÇO SE AREPENDEU E QUERIA Q MEU FILHO PAGASE EM 5 DIAS NOS NÃO TINHAMOS O DINHEIRO FIZEMOS A NOVENA DAS MÃO ENSANGURNTADAS DE JESUS QUANDO TERMINOU NO NONO DIA AS 8:00 DA MANHÃ QUANDO FOI 12:00 MEU FILHO PAGOU A MOTO
    OBRIGDO MEU DEUS PORESA BENSA QUE RESCEBI DE VÓS!!!

    ResponderExcluir

Este BLOG foi útil para você? Deixe seu testemunho! Sua opinião é muito importante para nós.